Coluna Ativar

Planejando com criatividade: passo a passo para o professor potencializar ideias

Hora de rever as temáticas a serem trabalhadas, pensar em caminhos, criar estratégias de aprendizagem que sejam dinâmicas e, principalmente, eficazes. O planejamento pedagógico implica em uma verdadeira arquitetura de estratégias que compõem um rol que vai desde a escolha dos materiais a serem utilizados, até as metodologias e formas de avaliação do processo.

Planejar é um processo fundamental da profissão professor, é onde desenhamos os passos que serão dados num roteiro que tem como destino a aprendizagem. Nesse percurso, uma grande preocupação tem sido com o engajamento dos estudantes. O desinteresse, a apatia e a falta de motivação por parte dos estudantes é, sim, um problema enfrentado em algum momento, por todos nós.

Como diria David Ausubel, a aprendizagem de fato ocorre quando ambas as partes estão interessadas: o professor criando caminhos que conectam pontos, que partem de experiências contextualizadas à vida do aprendiz e que propõe uma escuta ativa aos seus anseios e encantamentos. Do outro lado, porém, o estudante precisa estar disposto a aprender para que isso de fato ocorra.

Mas, afinal, em meio a tantas atividades, como o professor pode planejar suas experiências pedagógicas com mais criatividade? Vamos ao passo a passo!

  1. Conhecer os alunos: abordar temas ancorando os tópicos aos interesses dos estudantes só é possível quando nós os conhecemos. Para isso, quizzes e dinâmicas que trazem a oportunidade de você descobrir o que eles gostam de assistir, ouvir, quais são seus esportes favoritos (ou não) é um ótimo caminho.
  1. Aproveitar referências do entretenimento: conectando ao fato de você já conhecer os seus estudantes, pense: como o entretenimento que eles curtem, podem ser aproveitado por mim como ferramenta pedagógica? Digamos que eles gostem do Homem Aranha e você seja professor de biologia. O exercício é: como posso conectar o homem aranha a alguma temática específica na biologia?
  1. Conectar conteúdo à coisas da vida cotidiana: a partir de histórias, exemplos, reportagens, viagens virtuais a museus, análise de memes, etc.
  1. Explorar objetos e recursos digitais: a neurociência nos diz que ao explorar um mesmo conteúdo com exemplos diversos, isso gera diferentes experiências e, consequentemente, torna o aprendizado mais profundo. Pense em como integrar experiências multissensoriais à sua prática, trazendo objetos e recursos digitais que amplifiquem a ideia sobre um conceito ou tópico abordado.
  1. Varie as metodologias: trabalhar com criatividade é entender que alguns temas são melhor trabalhados a partir de metodologias diferentes. Variar a forma como os estudantes vão experienciar o conteúdo é uma ótima pedida para encantá-los e gerar experiências de aprendizagem mais efetivas, sempre com intencionalidade.

Espero que esse ciclo letivo seja incrível, prof. E que essas ideias possam te inspirar.

Um grande abraço digital.

Sobre o(a) autor(a)

Artigos

Criadora do @seligaprof, onde impacta milhares de professores de todo o Brasil, palestrante e formadora de professores. É doutoranda em História Cultural (UFSC), especialista em Tecnologias, Comunicação e Técnicas de Ensino (UTFPR), professora de pós-graduação no Instituto Singularidades. Atua nas áreas de metodologias cativas, storytelling aplicado à educação e BNCC.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.