Coluna Ativar

De olho na BNCC: 3 atividades práticas para o Fundamental 1

https://www.pexels.com/pt-br/foto/anonimo-navegando-procurando-negocio-4126743/

Planejar experiências de aprendizagem é apenas uma das atividades do professor e, pessoalmente, é uma das minhas preferidas. É nesse momento que nós, professores, podemos sonhar, imaginar e, então, anotar para implementar. 

Mas nem sempre as ideias nos vêm em mente e é por isso que separei três habilidades propostas pela BNCC para serem implementadas em diferentes áreas e diferentes anos, para que você repita a ideia, adapte a ideia ou mesmo transforme para a sua realidade e o seu contexto. Vamos lá? 

(EF02CI07) Descrever as posições do Sol em diversos horários do dia e associá-las ao tamanho da sombra projetada. 

Nessa habilidade, que se encontra dentro dos objetos de conhecimento “Movimento aparente do Sol no céu” “O Sol como fonte de luz e calor”, temos como foco o desenvolvimento do início de algo que chamo “pensar como um cientista”, que envolve a observação. Descrever as posições do Sol significa que para que eu faça isso, preciso antes observá-lo ao longo de um dia inteiro, perceber as sombras que são formadas a partir do nosso corpo, de objetos e como elas vão mudando com o passar das horas, movimentando-se. 

Perceba o quanto podemos explorar aspectos das ciências aqui, mas também incluir o quanto a técnica de observação da sombra fez parte da contagem do tempo pelos egípcios antigos, por exemplo. Além disso, podemos lançar provocações como: o que é o tempo? O que é o passado? O que é o futuro? Como as pessoas faziam quando não tinham relógios? 

A partir dessas reflexões, uma ideia prática seria a criação de um relógio solar no pátio da escola. Ele pode ser feito com pedras organizadas em círculos demarcando as horas e um cabo de vassoura localizado ao meio ou com pratos descartáveis com as horas anotadas com canetinhas e um lápis ao centro. Veja um relógio solar real aqui: 

https://cdn.pixabay.com/photo/2015/01/03/17/49/sundial-587636_1280.jpg

(EI03EF06) Produzir suas próprias histórias orais e escritas (escrita espontânea), em situações com função social significativa. 

Imaginação e criatividade fazem parte da habilidade acima, que tem como objetivo não somente a leitura de histórias prontas, mas criação delas, por parte da criança. Para isso, lancei mão de um recurso digital, o app chamado Inventeca (android e iOS). Nesse app, a criança escolhe uma história que quer narrar e vai passando as páginas enquanto cria a narrativa para cada cena, ao final, o app salva a história com a narração criada pela criança, que poderá ouvir a própria voz contando os acontecimentos. 

(EF02GE05) Analisar mudanças e permanências, comparando imagens de um mesmo lugar em diferentes tempos. 

(EF05GE08) Analisar transformações de paisagens nas cidades, comparando sequência de fotografias, fotografias aéreas e imagens de satélite de épocas diferentes 

Para essas duas habilidades em específico, da área de Geografia para o segundo e o quinto ano, temos como desafio desenvolver, com os alunos, a capacidade de analisar as mudanças e permanências na paisagem. Para isso, podemos utilizar fotografias diversas, inclusive via satélite. 

Veja abaixo um exemplo de fotografia realizada por Marc Ferrez e disponibilizada pelo Instituto Moreira Salles, da Avenida Central, atual Avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro ano de 1906. A análise dessa fotografia com outras mais recentes, pode explorar a fruição e detalhamento sobre as diferenças na paisagem, envolvendo desde a arquitetura, os automóveis, as vestimentas, a cor da fotografia, ainda em preto e branco, os postes de luz, etc. 

https://brasilianafotografica.bn.gov.br/?p=1443

Curtiu as ideias? Desejo que esses materiais te gerem muitos insights, prof! 

Um super abraço digital, 

Sobre o(a) autor(a)

Artigos

Criadora do @seligaprof, onde impacta milhares de professores de todo o Brasil, palestrante e formadora de professores. É doutoranda em História Cultural (UFSC), especialista em Tecnologias, Comunicação e Técnicas de Ensino (UTFPR), professora de pós-graduação no Instituto Singularidades. Atua nas áreas de metodologias cativas, storytelling aplicado à educação e BNCC.