fbpx
Category

Literatura

PROMOÇÃO LEITURA EM CASA | Ler é a melhor viagem

By | Literatura | No Comments

Estamos vivendo uma época atípica e um cenário inédito. É hora de proteger e cuidar da saúde de quem a gente mais gosta. Já que não podemos (e nem devemos) sair de casa, fizemos uma seleção imperdível de obras de literatura com preços promocionais para você e seus filhos curtirem uma quarentena criativa e da melhor maneira possível: conhecendo novos lugares e se aventurando por páginas literárias.

Entre as obras selecionadas, estão:

  • Pescador de Naúfragos (Ana Maria Machad0)
  • Manos Malucos (Ana Maria Machado)
  • O segredo da oncinha (Ana Maria Machado)
  • Meu pai e eu (Carlos Brito)
  • Sociologia – questões da atualidade (Cristina Costa)
  • Remando Contra A Mare- Os Construtores Da Democracia Brasileira (Luiz Felipe d’Avila) 
  • E muito mais!

LANÇAMENTO | Criaturas da Ilha de Corso

By | Literatura | No Comments

Estamos honrados em anunciar o lançamento do livro Criaturas da Ilha de Corso.

Este é um livro diferenciado: vem com a honra de ser um título inédito da saudosa Angela-Lago, falecida em 2017. Antes de desenhar e colorir o céu com suas mãos sensíveis, a autora embarcou em uma expedição muito bem acompanhada por José Roberto Torero e Pedro Hamdan das Pedras rumo à Ilha de Corso. Nessa viagem, para onde apenas a imaginação pode nos levar, o trio catalogou os extraordinários habitantes de Corso e nos deixou não uma enciclopédia, mas sim uma tentativa de classificar tais criaturas híbridas, que mesclam propriedades animais, vegetais e minerais.

Como forma de homenageá-la, a expedição à Corso seguiu e agora, podemos conhecer Amplexos, uma criatura adorável que tem dois braços, uma para apoio, outro para acariciar as costas alheias; Anthros, que possui uma beleza exótica com ar de extraterrestre; Bipolarius Volubilis de temperamento curioso e Carnaválio, que desfila feliz pela Ilha, fazendo música com seus guizos e emitindo seu belo canto sincopado.

Uma merecida homenagem 

Pedro Hamdan das Pedras e José Roberto Torero nos trazem seus diários de bordo em uma bela homenagem à memória e à produção de Angela-Lago:

No dia 19 de junho de 2017, sonhei com vários bichos. Continuei sonhando por todas as noites seguintes e resolvi perguntar a Angela-Lago, grande especialista em bichos e sonhos, se ela já tinha ouvido falar de animaizinhos como aqueles. De acordo com a minha descrição, ela não teve dúvidas: eram bichos da Ilha de Corso. Disse também que esses sonhos, assim como os bichos, estavam cada vez mais raros e seria uma pena não registrá-los.

Comecei, então, a planejar uma expedição a Corso e decidi convidar a Angela para o posto de Exploradora-chefe. Ela aceitou o convite com entusiasmo e sugeriu que chamássemos o José Roberto Torero, experiente cronista de inúmeras e perigosas expedições mundo afora, para compor a equipe. Ele pediu apenas alguns dias para organizar seus blocos de papel impermeáveis e suas canetas de tinta autorrenovável.

Passamos dois meses entre os pequenos habitantes da ilha, estudando seus hábitos, descobrindo seus esconderijos e aprendendo a lidar com seus humores. Montamos um pequenino e improvisado estúdio fotográfico, onde conseguimos registrá-los, vaidosos, sob a luz do Sol. Voltamos satisfeitos com nossos quilômetros de anotações escritas e imaginadas.

Já com o trabalho encaminhado e em seus últimos ajustes, a Angela nos pediu licença: surgira uma nova expedição para catalogar bichos nunca antes vistos, seres etéreos e cantarolantes, quase invisíveis. Precisavam da mais sensível e cuidadosa exploradora e lá se foi a Angela para mais uma aventura.

Pedro Hamdan das Pedras

Acabou de sair um livro novo. E é bem especial.

Ele nasceu quando fui entrevistar Ângela-Lago em seu sítio em Minas Gerais para um programa de televisão, o Super Libris.

Todos na equipe ficaram encantados com sua simpatia e inteligência (se tiver curiosidade, veja aqui o programa: 

No fim da conversa, ela me contou que um amigo seu, o Pedro Hamdan, havia criado uns bonequinhos muito interessantes, mas ela ainda não tinha conseguido fazer nada com eles. Para minha sorte, Ângela perguntou se eu não queria dar uma olhada nos bichinhos e tentar escrever algo. Topei na hora.

Em 4 de agosto de 2017, recebi várias fotos de corsovinos. E dois dias depois eu respondia o e-mail com três pequenos textos.

Ângela gostou da brincadeira e inventou mais verbetes. E Pedro também arriscou alguns.

Ficamos os três muito animados. Pedro fazia diariamente novos bichos e inventávamos mais e mais verbetes. Continuamos nesta empolgação até o fim de setembro, quando terminamos o livro.

Menos de um mês depois, Ângela faleceu.

Eu e Pedro ficamos muito tristes, sem saber o que fazer. Só o que queríamos era que, em homenagem a ela, os habitantes da Ilha de Corso ganhassem vida.

Depois de algum tempo, para nossa alegria, eles estão aqui, correndo pelas páginas deste livro.

José Roberto Torero

Obrigada pela aventura, Angela!

QUEM SÃO OS AUTORES?

Angela-Lago

Encantadora mamífera de penugem prateada, ficou conhecida por desenhar e escrever como ninguém. Nasceu em Belo Horizonte e tem a palavra “lago” no nome, com o que se pode ver que desde sempre esteve inclinada à beleza e à placidez. Ganhou muitos prêmios no Brasil e no exterior por conta de suas cores e letras. Segundo algumas fontes saudosas, trata-se de uma espécie extinta. Porém, há quem diga que ela está mais viva do que nunca, pois pode ser encontrada em milhares de livros espalhados pelo mundo.

José Roberto Torero

Este bípede é natural da cidade de Santos, mas hoje e dia é mais facilmente encontrado na região de Perdizes, em São Paulo. Seu habitat é um escritório, onde passa a maior parte do seu dia. Porém, não é raro que seja encontrado na cozinha, fuçando a geladeira em busca de restos de pizza. Sua atividade preferida é brincar com seu filhote.

Pedro Hamdan das Pedras

Bicho mineiro pouco afeito a grandes multidões, prefere mesmo a bagunça de sua toca, onde se ocupa com desenhos e batuques. Acompanhado de sua cachorra Lina, está eternamente em busca de gravetos, folhas, flores e sementes, com os quais faz pequenas esculturas usando massinha colorida. Seu nome pode ser encontrado junto a ilustrações nas mais diversas revistas do país. Além disso, recentemente começou a sacudir as asinhas e também está espalhando algumas palavras por aí.

Ficou interessado nessa aventura?

Para celebrar o lançamento, confira as condições especiais que preparamos com duas livrarias parceiras para a compra on-line do livro.

Embarque nessa expedição!

5 livros para trabalhar a cultura afro-brasileira

By | Literatura | 3 Comments

O dia 20 de novembro celebra a Consciência Negra e relembra a todos a importância de viver em um mundo repleto de diversidade. Nesta data, celebramos a influência das raízes africanas no nosso país e levantamos debates sobre temas transversais e de extrema importância como o combate ao racismo, a promoção da convivência, a cultura afro-brasileira e o respeito.

Sabendo da relevância do assunto e da necessidade de falarmos cada vez mais sobre isso com os nossos alunos, nós selecionamos 5 obras para que professores de todo o Brasil possam realizar projetos especiais, focados na conscientização e no respeito à pluralidade.

Os conteúdos dos livros podem ser trabalhados ao longo do ano ou em projetos interdisciplinares para datas comemorativas e são destinados aos diversos segmentos da educação básica. São obras de ficção e de não ficção que abordam aspectos diferenciados da cultura de influência africana e sua correlação e presença no nosso cotidiano.

Para conhecer mais sobre estes livros, entre em contato com o consultor Moderna na sua escola ou entre em contato com a nossa equipe pelo telefone 0800 17 2002 para agendar uma visita.

ENSINO FUNDAMENTAL 1

KIESE: HISTÓRIA DE UM AFRICANO NO BRASIL

Antepassados
Editora Moderna

Autor: Ricardo Dreguer
Edição: 1ª Edição
Ilustração: Bruna Assis Brasil
Faixa etária: A partir de 09 anos
Trabalho interdisciplinar: Geografia, História, Português
Indicação: 4º Ano (EF1), 5º Ano (EF1), 6º Ano (EF2)
Assunto: África, Cultura afro-brasileira, Escravidão no Brasil
Tema transversal: Cidadania, Pluralidade Cultural, Ética
ISBN: 9788516096700

Sinopse: O livro narra a trajetória de Kiese, um menino que foi capturado ainda na infância em sua aldeia, na África, e trazido para o Brasil para ser escravizado. É também a história de muitos africanos que foram tirados de seu território, separados de seus familiares e amigos e trazidos para o Brasil ao longo do tempo que durou o regime escravista em nosso país. A história de Kiese é a história de um brasileiro que lutou para conquistar um lugar para ser feliz com sua família, seus amigos e sua gente. Sua história se confunde com a própria formação do Brasil.

O QUE HÁ DE ÁFRICA EM NÓS?

Coleção Viramundo
Editora Moderna

Autor: Wlamyra R. de Albuquerque, Walter Fraga
Ilustração: Pablo Mayer
Faixa etária: A partir de 09 anos
Trabalho interdisciplinar: História, Português
Indicação: 4º Ano (EF1)
Assunto: africanos, escravidão, negros no Brasil
ISBN: 9788516084769

Sinopse: O que há de África em nós é um livro de viagens. Os personagens atravessam o oceano Atlântico, visitam outros períodos históricos, embarcam em navios e chegam a lugares e situações diferentes. Tudo começa com uma pergunta: Desde quando o mundo é mundo? Essa questão nos leva ao continente africano. Venha navegar com Cecília, Camila, Akin, Chico, Isabel e Alice nessa incrível história sobre a presença africana no Brasil.

ENSINO FUNDAMENTAL 2

A AMIZADE ETERNA E OUTRAS VOZES DA ÁFRICA

Veredas
Editora Moderna

 

Autor: Ilan Brenman
Edição: 1ª Edição
Ilustração: Catarina Bessell
Faixa etária: A partir de 09 anos
Trabalho interdisciplinar: Geografia, História, Português, Português
Indicação: 4º Ano (EF1), 5º Ano (EF1), 6º Ano (EF2), 7º Ano (EF2)
Assunto: África, ancestralidade, astúcia, escravidão, esperteza, origem, traição
Tema transversal: Pluralidade Cultural
ISBN: 9788516103637

Sinopse: Cada conto deste livro tem no seu DNA a sabedoria, o humor, a perspicácia e a celebração da vida, deixando um legado de inestimável valor para os homens do futuro.

UM GRITO DE LIBERDADE: A SAGA DE ZUMBI DOS PALMARES

Recontando a História
Editora Moderna

Autor: Álvaro Cardoso Gomes, Rafael Lopes de Sousa
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 11 anos
Trabalho interdisciplinar: História, Português
Indicação: 6º Ano (EF2), 7º Ano (EF2), 8º Ano (EF2), 9º Ano (EF2)
Assunto: Escravidão, Palmares, Quilombos, Sociedade Açucareira, Zumbi
Tema transversal: Pluralidade Cultural
ISBN: 9788516102753

Sinopse: Um jovem escravo, batizado como Francisco, vive em companhia de um padre que é seu protetor. Aprendeu a ler, a escrever e tem regalias que seus companheiros não têm. Mesmo assim, é um eterno descontente, porque almeja conquistar o bem que considera mais precioso – a liberdade. Ao mesmo tempo, a história contempla também o drama da jovem Kênia, uma escrava recém-chegada da África e que se apaixonará por um forte guerreiro chamado Vemba. Contando com muita ação, lutas sangrentas, atos de heroísmo, a narrativa procura resgatar a saga de Palmares. No reino criado pelos negros, estes personagens farão de tudo para manter acesa a chama da liberdade.

DA COR DA ESPERANÇA: A LIBERTAÇÃO DOS ESCRAVOS

Recontando a História
Editora Moderna

Autor: Márcia Abreu
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 11 anos
Trabalho interdisciplinar: História, Português
Indicação: 6º Ano (EF2), 7º Ano (EF2), 8º Ano (EF2), 9º Ano (EF2)
Assunto: Abolicionismo, Caifazes, Escravidão, Lei Áurea
Tema transversal: Pluralidade Cultural, Ética
ISBN: 9788516102746

Sinopse: Que cor deve ter alguém para ser gente? De que cor deve ser para ter esperança? Até o século XIX, muitos negros foram escravizados e tratados como animais ou coisas. Eram comprados e vendidos, trabalhavam à força, eram castigados duramente. Gente não se submete a este tipo de tratamento sem revolta, por isso eles organizaram rebeliões e fugas, resistiram aos desmandos e lutaram para se tornar livres. Da cor da esperança conta a história de um grupo de negros – escravos, livres e libertos – desde a captura na África até os movimentos abolicionistas. Gente que tinha dor e queria ser livre, gente que sofria e fazia festa, gente que amava e sentia medo.

Conheça outras obras

Preparamos um catálogo especial para os professores que têm interesse em trabalhar com os elementos da cultura africana na sala de aula. Vale lembrar que a Unesco proclamou a década de 2015 a 2024 como a Década Internacional das Pessoas de Ascendência Africana e, para isso, organizou a campanha “Afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento”. Confira mais algumas obras do nosso catálogo que trabalham o tema e são específicas para cada segmento.

12/10 – Dia das crianças e dia da leitura

By | Literatura | No Comments

O dia 12 de outubro não à toa é uma data especial: além de ter sido escolhido como o “dia das crianças” também é celebrado o dia da leitura.

Quer combinação melhor do que crianças e livros? Os livros abrem portas para um universo cheio de histórias e descobertas. As crianças estimuladas pelo hábito da leitura crescem mais criativas, mais imaginativas e tecem visões amplas.

Abaixo, sugerimos duas listas com indicações de livros para que você leia junto com as crianças que fazem parte da sua vida, já que a formação de leitores é um ato tão poderoso para transformar uma sociedade.

Feliz dia das crianças! Feliz dia da leitura!

MODERNA

  1. Na cozinha com os dinossauros
  2. Ganhei um dinheiro
  3. Pet, o dragão e o mistério das pegadas
  4. O livro da com-fusão: Animais
  5. Tantãs
  6. Reinações de Narizinho
  7. O que eu quero pode acontecer
  8. Biruta
  9. Ratinho manhoso
  10. Quem ri por último, rima melhor

SALAMANDRA

  1. Na colina
  2. Natacha
  3. Mais duas coisinhas à toa que deixam a gente feliz
  4. Quem tem medo de monstro?
  5. Almanaque Ruth Rocha
  6. Doroteia, a centopeia
  7. Sete histórias para contar
  8. Tem sempre um diferente
  9. A outra história de Chapeuzinho Vermelho
  10. A revolta dos gizes de cera

Conheça o Leitura em família

Por acreditar que a leitura deve ser vivenciada não apenas na escola que as editoras Moderna e a Salamandra desenvolveram o programa Leitura em Família, que traz orientações e dicas escritas por pais para proporcionar momentos prazerosos de descobertas e diálogo, além de integrar família e escola na missão de educar.

Clique nos botões abaixo e confira os títulos de cada editora que integram o programa. 

22 de Agosto, Dia do Folclore

By | Literatura | No Comments

Em 1965, o Congresso Nacional Brasileiro, oficializou que, todo dia 22 de agosto seria destinado à comemoração do folclore brasileiro. A data foi criada, como uma forma de valorizar as histórias e personagens da cultura popular brasileira.

E, para este dia tão importante, convidamos nosso autor, César Obeid, para falar sobre o que ele mais entende: histórias, cultura popular brasileira e literatura! 🙂

César Obeid

César Obeid

Escritor e palestrante

Conheça as obras do autor:

REFUGIADOS – O GRANDE DESAFIO HUMANITÁRIO

By | Literatura | No Comments

Por Gilberto M. A. Rodrigues

Refugiados são pessoas que fogem de um país devido a vários tipos de perseguição. Nos últimos anos, o número de refugiados vem aumentando no mundo e recentemente ultrapassou a marca da Segunda Guerra Mundial. Considera-se que o mundo vive hoje uma crise humanitária, sem precedentes. Segundo dados do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR), atualmente são quase 70 milhões de pessoas que foram obrigadas a se deslocar de um território a outro dentro do mesmo país, ou para longe de seu próprio país (equivalente à população total da França). Os refugiados estão “no centro do mundo”. Por que isso está acontecendo?

As razões do aumento de refugiados no planeta se encontram no surgimento e na persistência de guerras e conflitos armados (As mais importantes são as da Síria, Afeganistão, Somália, República Democrática do Congo, Iêmen, Myanmar, Colombia, entre outras), em violações maciças de Direitos Humanos dentro de países (Venezuela e Nicarágua são exemplos) e perseguição por gangues e pelo crime organizado em Estados onde as autoridades não exercem controle sobre partes do território (por exemplo, Honduras, El Salvador, Guatemala e México). A consequência dessa crise é que muitos países têm que receber os refugiados e integrá-los em suas sociedades, o que muitas vezes é visto como algo negativo pela população local, gerando reações contrárias, como xenofobia e discriminação, e temor de que essas pessoas sejam criminosas e até terroristas.

Porém, receber refugiados é um dever jurídico e moral dos países, com base no princípio da solidariedade internacional. Praticamente todos os países no mundo se comprometeram a receber refugiados, ratificando acordos internacionais e aprovando leis internas para organizar o reconhecimento e a acolhida dessas pessoas. Há países em que essa recepção é muito alta, como a Turquia, que recebeu cerca de 3.5 milhões de sírios (equivalente à população do Uruguai); em outros, a recepção é baixa, mas está aumentando, como no caso do Brasil (que tem cerca de 10 mil refugiados reconhecidos, mas esse número tende a subir).

Os países desenvolvidos são os que menos recebem refugiados, mas são os que mais estão resistindo a recebê-los. Uma onda neoconservadora na Europa está pondo em xeque o reconhecimento e a importância dos refugiados para a economia e a cultura europeias – Isso pode ser visto claramente na Hungria, Polônia, Italia etc. A saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit) também ter a ver com esse tema. Nos EUA, o governo quer construir um muro fechando toda a fronteira com o Mexico e expulsar migrantes e refugiados que já se integraram localmente. O fato é que a crise humanitária está levando muitas pessoas do Oriente Médio, África e América Latina a buscar refúgio em locais próximos (países fronteiriços) e em outros mais distantes, que oferecem melhores condições de vida para si e para seus filhos. É preciso entender que essa busca não é voluntária, é forçada. Essas pessoas não tem opção; é uma questão de vida ou morte.

O tema dos refugiados está se tornando cada vez mais motivo de debates nas escolas e universidades, de polêmicas na mídia e até de embates em campanhas políticas. Na América do Sul, a situação da Venezuela – que enfrenta a maior crise humanitária que se tem notícia na história da região – vem gerando um êxodo de migrantes e refugiados que buscam as fronteiras mais próximas – do Brasil e da Colômbia –para fugir.

Esse fenômeno, que não é apenas divulgado na mídia, mas vivenciado por muitos, devido à chegada e à proximidade dos refugiados em várias cidades brasileiras, coloca diversas questões importantes para o estudo e a compreensão da História, da Geografia, das Ciências Sociais e das Relações Internacionais.

Prof. Gilberto Rodrigues, autor do livro, fala sobre o tema no vídeo abaixo:

No livro “Refugiados – O grande desafio humanitário”, Gilberto Rodrigues, professor e coordenador da Pós-Graduação em Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC, aborda diversos elementos dessa temática, de forma interdisciplinar, explicando quem são os refugiados, à luz do Direito Internacional, como a ONU e os países agem para lidar com essa questão, de que forma o Brasil vem atuando como país de acolhimento de refugiados e quais os desafios para enfrentar essa crise humanitária – protegendo e integrando os refugiados.