Category

Literatura

5 livros para trabalhar a cultura afro-brasileira

By | Literatura | 3 Comments

O dia 20 de novembro celebra a Consciência Negra e relembra a todos a importância de viver em um mundo repleto de diversidade. Nesta data, celebramos a influência das raízes africanas no nosso país e levantamos debates sobre temas transversais e de extrema importância como o combate ao racismo, a promoção da convivência, a cultura afro-brasileira e o respeito.

Sabendo da relevância do assunto e da necessidade de falarmos cada vez mais sobre isso com os nossos alunos, nós selecionamos 5 obras para que professores de todo o Brasil possam realizar projetos especiais, focados na conscientização e no respeito à pluralidade.

Os conteúdos dos livros podem ser trabalhados ao longo do ano ou em projetos interdisciplinares para datas comemorativas e são destinados aos diversos segmentos da educação básica. São obras de ficção e de não ficção que abordam aspectos diferenciados da cultura de influência africana e sua correlação e presença no nosso cotidiano.

Para conhecer mais sobre estes livros, entre em contato com o consultor Moderna na sua escola ou entre em contato com a nossa equipe pelo telefone 0800 17 2002 para agendar uma visita.

ENSINO FUNDAMENTAL 1

KIESE: HISTÓRIA DE UM AFRICANO NO BRASIL

Antepassados
Editora Moderna

Autor: Ricardo Dreguer
Edição: 1ª Edição
Ilustração: Bruna Assis Brasil
Faixa etária: A partir de 09 anos
Trabalho interdisciplinar: Geografia, História, Português
Indicação: 4º Ano (EF1), 5º Ano (EF1), 6º Ano (EF2)
Assunto: África, Cultura afro-brasileira, Escravidão no Brasil
Tema transversal: Cidadania, Pluralidade Cultural, Ética
ISBN: 9788516096700

Sinopse: O livro narra a trajetória de Kiese, um menino que foi capturado ainda na infância em sua aldeia, na África, e trazido para o Brasil para ser escravizado. É também a história de muitos africanos que foram tirados de seu território, separados de seus familiares e amigos e trazidos para o Brasil ao longo do tempo que durou o regime escravista em nosso país. A história de Kiese é a história de um brasileiro que lutou para conquistar um lugar para ser feliz com sua família, seus amigos e sua gente. Sua história se confunde com a própria formação do Brasil.

O QUE HÁ DE ÁFRICA EM NÓS?

Coleção Viramundo
Editora Moderna

Autor: Wlamyra R. de Albuquerque, Walter Fraga
Ilustração: Pablo Mayer
Faixa etária: A partir de 09 anos
Trabalho interdisciplinar: História, Português
Indicação: 4º Ano (EF1)
Assunto: africanos, escravidão, negros no Brasil
ISBN: 9788516084769

Sinopse: O que há de África em nós é um livro de viagens. Os personagens atravessam o oceano Atlântico, visitam outros períodos históricos, embarcam em navios e chegam a lugares e situações diferentes. Tudo começa com uma pergunta: Desde quando o mundo é mundo? Essa questão nos leva ao continente africano. Venha navegar com Cecília, Camila, Akin, Chico, Isabel e Alice nessa incrível história sobre a presença africana no Brasil.

ENSINO FUNDAMENTAL 2

A AMIZADE ETERNA E OUTRAS VOZES DA ÁFRICA

Veredas
Editora Moderna

 

Autor: Ilan Brenman
Edição: 1ª Edição
Ilustração: Catarina Bessell
Faixa etária: A partir de 09 anos
Trabalho interdisciplinar: Geografia, História, Português, Português
Indicação: 4º Ano (EF1), 5º Ano (EF1), 6º Ano (EF2), 7º Ano (EF2)
Assunto: África, ancestralidade, astúcia, escravidão, esperteza, origem, traição
Tema transversal: Pluralidade Cultural
ISBN: 9788516103637

Sinopse: Cada conto deste livro tem no seu DNA a sabedoria, o humor, a perspicácia e a celebração da vida, deixando um legado de inestimável valor para os homens do futuro.

UM GRITO DE LIBERDADE: A SAGA DE ZUMBI DOS PALMARES

Recontando a História
Editora Moderna

Autor: Álvaro Cardoso Gomes, Rafael Lopes de Sousa
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 11 anos
Trabalho interdisciplinar: História, Português
Indicação: 6º Ano (EF2), 7º Ano (EF2), 8º Ano (EF2), 9º Ano (EF2)
Assunto: Escravidão, Palmares, Quilombos, Sociedade Açucareira, Zumbi
Tema transversal: Pluralidade Cultural
ISBN: 9788516102753

Sinopse: Um jovem escravo, batizado como Francisco, vive em companhia de um padre que é seu protetor. Aprendeu a ler, a escrever e tem regalias que seus companheiros não têm. Mesmo assim, é um eterno descontente, porque almeja conquistar o bem que considera mais precioso – a liberdade. Ao mesmo tempo, a história contempla também o drama da jovem Kênia, uma escrava recém-chegada da África e que se apaixonará por um forte guerreiro chamado Vemba. Contando com muita ação, lutas sangrentas, atos de heroísmo, a narrativa procura resgatar a saga de Palmares. No reino criado pelos negros, estes personagens farão de tudo para manter acesa a chama da liberdade.

DA COR DA ESPERANÇA: A LIBERTAÇÃO DOS ESCRAVOS

Recontando a História
Editora Moderna

Autor: Márcia Abreu
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 11 anos
Trabalho interdisciplinar: História, Português
Indicação: 6º Ano (EF2), 7º Ano (EF2), 8º Ano (EF2), 9º Ano (EF2)
Assunto: Abolicionismo, Caifazes, Escravidão, Lei Áurea
Tema transversal: Pluralidade Cultural, Ética
ISBN: 9788516102746

Sinopse: Que cor deve ter alguém para ser gente? De que cor deve ser para ter esperança? Até o século XIX, muitos negros foram escravizados e tratados como animais ou coisas. Eram comprados e vendidos, trabalhavam à força, eram castigados duramente. Gente não se submete a este tipo de tratamento sem revolta, por isso eles organizaram rebeliões e fugas, resistiram aos desmandos e lutaram para se tornar livres. Da cor da esperança conta a história de um grupo de negros – escravos, livres e libertos – desde a captura na África até os movimentos abolicionistas. Gente que tinha dor e queria ser livre, gente que sofria e fazia festa, gente que amava e sentia medo.

Conheça outras obras

Preparamos um catálogo especial para os professores que têm interesse em trabalhar com os elementos da cultura africana na sala de aula. Vale lembrar que a Unesco proclamou a década de 2015 a 2024 como a Década Internacional das Pessoas de Ascendência Africana e, para isso, organizou a campanha “Afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento”. Confira mais algumas obras do nosso catálogo que trabalham o tema e são específicas para cada segmento.

12/10 – Dia das crianças e dia da leitura

By | Literatura | No Comments

O dia 12 de outubro não à toa é uma data especial: além de ter sido escolhido como o “dia das crianças” também é celebrado o dia da leitura.

Quer combinação melhor do que crianças e livros? Os livros abrem portas para um universo cheio de histórias e descobertas. As crianças estimuladas pelo hábito da leitura crescem mais criativas, mais imaginativas e tecem visões amplas.

Abaixo, sugerimos duas listas com indicações de livros para que você leia junto com as crianças que fazem parte da sua vida, já que a formação de leitores é um ato tão poderoso para transformar uma sociedade.

Feliz dia das crianças! Feliz dia da leitura!

MODERNA

  1. Na cozinha com os dinossauros
  2. Ganhei um dinheiro
  3. Pet, o dragão e o mistério das pegadas
  4. O livro da com-fusão: Animais
  5. Tantãs
  6. Reinações de Narizinho
  7. O que eu quero pode acontecer
  8. Biruta
  9. Ratinho manhoso
  10. Quem ri por último, rima melhor

SALAMANDRA

  1. Na colina
  2. Natacha
  3. Mais duas coisinhas à toa que deixam a gente feliz
  4. Quem tem medo de monstro?
  5. Almanaque Ruth Rocha
  6. Doroteia, a centopeia
  7. Sete histórias para contar
  8. Tem sempre um diferente
  9. A outra história de Chapeuzinho Vermelho
  10. A revolta dos gizes de cera

Conheça o Leitura em família

Por acreditar que a leitura deve ser vivenciada não apenas na escola que as editoras Moderna e a Salamandra desenvolveram o programa Leitura em Família, que traz orientações e dicas escritas por pais para proporcionar momentos prazerosos de descobertas e diálogo, além de integrar família e escola na missão de educar.

Clique nos botões abaixo e confira os títulos de cada editora que integram o programa. 

22 de Agosto, Dia do Folclore

By | Literatura | No Comments

Em 1965, o Congresso Nacional Brasileiro, oficializou que, todo dia 22 de agosto seria destinado à comemoração do folclore brasileiro. A data foi criada, como uma forma de valorizar as histórias e personagens da cultura popular brasileira.

E, para este dia tão importante, convidamos nosso autor, César Obeid, para falar sobre o que ele mais entende: histórias, cultura popular brasileira e literatura! 🙂

César Obeid

César Obeid

Escritor e palestrante

Conheça as obras do autor:

REFUGIADOS – O GRANDE DESAFIO HUMANITÁRIO

By | Literatura | No Comments

Por Gilberto M. A. Rodrigues

Refugiados são pessoas que fogem de um país devido a vários tipos de perseguição. Nos últimos anos, o número de refugiados vem aumentando no mundo e recentemente ultrapassou a marca da Segunda Guerra Mundial. Considera-se que o mundo vive hoje uma crise humanitária, sem precedentes. Segundo dados do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR), atualmente são quase 70 milhões de pessoas que foram obrigadas a se deslocar de um território a outro dentro do mesmo país, ou para longe de seu próprio país (equivalente à população total da França). Os refugiados estão “no centro do mundo”. Por que isso está acontecendo?

As razões do aumento de refugiados no planeta se encontram no surgimento e na persistência de guerras e conflitos armados (As mais importantes são as da Síria, Afeganistão, Somália, República Democrática do Congo, Iêmen, Myanmar, Colombia, entre outras), em violações maciças de Direitos Humanos dentro de países (Venezuela e Nicarágua são exemplos) e perseguição por gangues e pelo crime organizado em Estados onde as autoridades não exercem controle sobre partes do território (por exemplo, Honduras, El Salvador, Guatemala e México). A consequência dessa crise é que muitos países têm que receber os refugiados e integrá-los em suas sociedades, o que muitas vezes é visto como algo negativo pela população local, gerando reações contrárias, como xenofobia e discriminação, e temor de que essas pessoas sejam criminosas e até terroristas.

Porém, receber refugiados é um dever jurídico e moral dos países, com base no princípio da solidariedade internacional. Praticamente todos os países no mundo se comprometeram a receber refugiados, ratificando acordos internacionais e aprovando leis internas para organizar o reconhecimento e a acolhida dessas pessoas. Há países em que essa recepção é muito alta, como a Turquia, que recebeu cerca de 3.5 milhões de sírios (equivalente à população do Uruguai); em outros, a recepção é baixa, mas está aumentando, como no caso do Brasil (que tem cerca de 10 mil refugiados reconhecidos, mas esse número tende a subir).

Os países desenvolvidos são os que menos recebem refugiados, mas são os que mais estão resistindo a recebê-los. Uma onda neoconservadora na Europa está pondo em xeque o reconhecimento e a importância dos refugiados para a economia e a cultura europeias – Isso pode ser visto claramente na Hungria, Polônia, Italia etc. A saída do Reino Unido da União Europeia (Brexit) também ter a ver com esse tema. Nos EUA, o governo quer construir um muro fechando toda a fronteira com o Mexico e expulsar migrantes e refugiados que já se integraram localmente. O fato é que a crise humanitária está levando muitas pessoas do Oriente Médio, África e América Latina a buscar refúgio em locais próximos (países fronteiriços) e em outros mais distantes, que oferecem melhores condições de vida para si e para seus filhos. É preciso entender que essa busca não é voluntária, é forçada. Essas pessoas não tem opção; é uma questão de vida ou morte.

O tema dos refugiados está se tornando cada vez mais motivo de debates nas escolas e universidades, de polêmicas na mídia e até de embates em campanhas políticas. Na América do Sul, a situação da Venezuela – que enfrenta a maior crise humanitária que se tem notícia na história da região – vem gerando um êxodo de migrantes e refugiados que buscam as fronteiras mais próximas – do Brasil e da Colômbia –para fugir.

Esse fenômeno, que não é apenas divulgado na mídia, mas vivenciado por muitos, devido à chegada e à proximidade dos refugiados em várias cidades brasileiras, coloca diversas questões importantes para o estudo e a compreensão da História, da Geografia, das Ciências Sociais e das Relações Internacionais.

No livro “Refugiados – O grande desafio humanitário”, Gilberto Rodrigues, professor e coordenador da Pós-Graduação em Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC, aborda diversos elementos dessa temática, de forma interdisciplinar, explicando quem são os refugiados, à luz do Direito Internacional, como a ONU e os países agem para lidar com essa questão, de que forma o Brasil vem atuando como país de acolhimento de refugiados e quais os desafios para enfrentar essa crise humanitária – protegendo e integrando os refugiados.

Dicas de leituras para as férias de julho

By | Literatura | No Comments

Tempo de férias é sempre um momento feliz: acordar tarde, passear, brincar bastante e até mesmo viajar sem sair do lugar!

Você deve estar pensando: “como assim alguém viaja, mas não viaja?”. Simples: um bom livro tem o poder de levar a gente para longe, de nos transportar para universos diferentes, mundos engraçados e lugares incríveis!

Para aproveitar as férias de julho, fizemos uma seleção de títulos maravilhosos para que você aproveite da melhor maneira: colocando a leitura em dia!

MODERNA

Fund. 1

  1. O barquinho de papel
  2. Aqui, bem perto
  3. Biruta
  4. Contos de Grimm (Walcyr)
  5. Sorumbática
  6. Ritinha Danadinha
  7. Segredos
  8. Ratinho manhoso
  9. O livro das casas
  10. O guardião da bola

Fund. 2

  1. Maria vai com poucas
  2. 4 vidas entre linhas e traços
  3. O golpe do aniversariante e outras crônicas
  4. O grande desafio
  5. A morte tem sete herdeiros
  6. Contos encantados da América Latina
  7. Saga animal
  8. Príncipe de Astúrias
  9. O mestre e o herói
  10. Nariz de vidro
  11. A melancia quadrada
  12. E no fim… tudo recomeça de outro jeito

Informativos

  1. Almanaque dos dinossauros
  2. Sete janelinhas: meus primeiros sete quadros
  3. Uma aventura ao redor do Sol
  4. Você é o que você come?
  5. Samba e Bossa Nova
  6. Como não ser enganado pelas fake news
  7. Almanaque do jovem empreendedor: do Homo faber às startups
  8. 10 brasileiros nota 10
  9. A fórmula secreta
  10. A invenção dos esportes
  11. Com os pés na África
  12. Rabiscopédia

SALAMANDRA

Fund 1

  1. Na colina
  2. Quadrado
  3. Natacha
  4. O patinho feio (Ruth)
  5. Marcelo, marmelo, martelo
  6. Almanaque Ruth Rocha
  7. Dia de chuva
  8. Pêssego, pera, ameixa no pomar
  9. Bisa Bia, Bisa Bel
  10. Contos de Grimm (4 livros)
  11. Mania de explicação
  12. Madeline Finn e Bonnie
  13. Não vou tomar banho hoje!
  14. Vazio
  15. Como pegar uma estrela

Fund 2

  1. O jardim secreto
  2. Sete histórias para contar
  3. Cinthia Holmes e Watson e suas incríveis descobertas
  4. Chiclete – o incrível garoto que encolhe
  5. Judy Moody e a lista dos desejos
  6. Ponte para Terabítia

LEITURAS DE VESTIBULAR

By | Literatura | No Comments

Por Douglas Tufano

Para a grande maioria dos alunos, os livros de literatura pedidos nos vestibulares são desinteressantes, pois não tratam de problemas que dizem respeito aos jovens de hoje. E para agravar o problema, a linguagem literária ainda dificulta mais a compreensão dessas obras. Alguns alunos dizem que não conseguem compreender o que estão lendo, têm que recorrer a todo instante ao dicionário mas, depois de algumas páginas, isso cansa e desanima.

A meu ver, o problema está na falta de preparação para essas leituras. O professor precisa ajudá-lo a ler, deve servir como intermediário entre o estudante e o livro. Sem essa orientação, é claro que a leitura se torna penosa e desanimadora.

Para ajudar tanto o professor como os alunos, preparei para a editora Moderna uma nova edição dos autores clássicos brasileiros que mais caem no vestibular (Machado de Assis, Aluísio Azevedo, Raul Pompeia, José de Alencar, Lima Barreto, entre outros). A novidade é que esses livros agora são acompanhados de notas que vão além de explicações de vocabulário. Elas orientam a leitura, dão dicas e pistas sobre o significado de certos episódios, chamam a atenção sobre os recursos de estilo do autor, esclarecem o contexto histórico e social em que transcorre o enredo. Além disso, trazem uma biografia do autor e mostram as características principais de sua época literária. Dessa maneira, é como se o leitor tivesse um professor ao seu lado. A leitura flui com muito mais facilidade. Por isso, minha sugestão é que o aluno faça uma programação de leitura com tempo suficiente para ler cada livro com calma.

Outra dica importante para o aluno se preparar é resolver as questões que já caíram sobre os livros que está lendo. Há obras que ficam vários anos nas listas de leituras obrigatórias; por isso, já foram objeto de muitas questões. Rever essas questões e tentar resolvê-las é sempre um bom teste para recordar pontos importantes dessas obras.

Não se pode esquecer que uma coisa é absolutamente certa: se há uma lista de leituras obrigatórias, é porque no exame vão cair perguntas sobre esses livros. Será que o vestibulando prefere jogar fora os pontos que poderia ter se lesse bem as obras? Muitas vezes, são esses pontos que fazem a diferença na classificação final…

(Douglas Tufano, professor de literatura e redação do ensino médio, autor de livros didáticos e paradidáticos da editora Moderna)