fbpx
All Posts By

Tathiana Anselmo

Ciclo sustentável do papel chega às escolas

By | Sustentabilidade | No Comments

Iniciativa é uma parceria da International Paper, Chamex, Editora Moderna, Two Sides e Ogra

A ação mais recente da parceria entre a editora Moderna e a Two Sides é a produção de 30 mil cartazes mostrando o ciclo sustentável do papel. Metade desse volume já foi distribuída em cerca de 12 mil escolas de todo o Brasil entre os meses de agosto e outubro e o restante será entregue no primeiro semestre de 2020 em eventos e outras atividades do Grupo Santillana.

Além da parceria Moderna e Two Sides, a viabilização dessa iniciativa, denominada Projeto Educadores, contou com o apoio de outros dois membros da Two Sides: a Internacional Paper, que forneceu o papel, e a Ogra Oficina Gráfica, responsável pela impressão dos cartazes.

“O projeto surgiu com o objetivo de desmistificar os mitos associados ao produto e fortalecer o ciclo positivo do papel. E para nós, essa ação, que vai além do produto final, é como compartilhamos conhecimento sobre o setor de florestas plantadas, contamos um pouco mais sobre o processo produtivo 100% renovável, esclarecendo dúvidas que surgem principalmente dentro de uma sala de aula”, afirma Tamara Natale, gerente de Sustentabilidade e Engajamento com a Comunidade e gestora executiva do Instituto International Paper. “É como levamos a informação de forma simples, fortalecendo o uso desse produto milenar e sustentável. Afinal, por trás de cada papel, existe uma história, a preocupação com o meio ambiente, com as pessoas e com as comunidades onde atuamos”, completa Tamara. Para Ana Cristina Suriani, diretora comercial da Ogra, participar do projeto foi uma decisão natural. “Se somos parceiros da Two Sides e compartilhamos as mesmas ideias, nada mais legítimo do que colaborarmos com o que sabemos fazer de melhor.”

Engajamento

Hoje, a Moderna dedica uma parte de seu site institucional à apresentação de seu compromisso com a sustentabilidade e todos os seus livros didáticos (selo Moderna) levam um infográfico com o ciclo sustentável do papel. A meta é conscientizar os agentes escolares e as famílias a respeito desse engajamento, mostrando que há uma cadeia econômica por trás da produção dos materiais (desde a geração de empregos diversos até a responsabilidade do conhecimento associado aos livros didáticos). No ano passado, no Dia dos Professores, a Moderna entregou um lápis semente como brinde utilizando a mesma linguagem visual da campanha, afora um caderno de final de ano. Em 2019, além das comunicações digitais, a editora ampliou o projeto com a entrega do cartaz, palestras internas de conscientização e há ainda outros brindes previstos.

Com relação à receptividade ao Projeto Educadores, de acordo com a equipe da Moderna, as escolas sempre ficam interessadas em ações de formação e enxergam valor no compromisso da editora com as futuras gerações. Segundo a empresa, trata-se de um trabalho coletivo que vai além da sustentabilidade ambiental. É uma proposta de corresponsabilidade entre todos os players da cadeia de produção de papel.

Para a editora, o principal valor nessa ação é criar uma corrente em prol das futuras gerações. Estar comprometido com a sustentabilidade vai além da preocupação ambiental, está diretamente associado a incentivar o consumo consciente de matérias-primas e fontes renováveis. A Moderna entende que é fundamental se posicionar a favor dessas questões. Como uma empresa que é fonte de conteúdo de formação humana, estar à frente de tais iniciativas é uma preocupação constante.

NOVA EDIÇÃO| Expedições Geográficas

By | Lançamentos 2019/2020 | No Comments

Expedições Geográficas
3ª edição

Melhem Adas e Sérgio Adas

A nova edição do Expedições Geográficas apresenta os temas da Geografia de maneira lúdica e dinâmica. O professor trabalha com autonomia, organizando o conteúdo de acordo com sua necessidade em sala de aula. Com a aplicação sistemática dos conceitos na realidade dos alunos, a obra permite compreender melhor o lugar e a comunidade em que eles vivem para colaborar na formação de cidadãos conscientes de sua responsabilidade social.

Assista ao vídeo dos autores sobre a obra:

Material composto por:

Exclusivo para professor:

  • Guia e Recursos Didáticos.

 

Nossos diferenciais:

  • Organização do conteúdo: estrutura regular com 8 unidades, divididas em 4 capítulos, facilita o planejamento letivo;
  • Autores conhecidos: segurança e rigor conceitual em uma metodologia aprovada por professores de todo o Brasil.
  • Programa de atividades: objetivos claros para colaborar com a sistematização e compreensão dos conceitos.
  • Seções especiais: desenvolvem o gosto e a sensibilidade pelas questões sociais, políticas e econômicas e promovem reflexão sobre temas contemporâneos.
  • Portal exclusivo: conteúdos digitais, vídeos e atividades para o professor e o aluno.

Inovações desta edição:

  • Compromisso BNCC: inserção e reformulação das unidades para atender às exigências da Base;
  • Seção Caminhos Digitais: discussões sobre cultura digital e a influência das tecnologias no cotidiano;
  • Seção Rotas e encontros: traz elementos geográficos e culturais de diversos povos, etnias ou personagens;
  • Novos infográficos: dados e informações visuais acompanhados de questões relevantes para o aluno;
  • Ampliação do programa de atividades: novas propostas que articulam o conteúdo à realidade da turma;
  • Guia do professor em U: orientações, sugestões e comentários sobre a BNCC, dispostos ao redor da reprodução das páginas do livro do aluno para o professor intervir no momento da aprendizagem.

Contatos do autor Sérgio Adas:

Email: prof.adas@gmail.com
Facebook 
Youtube

LANÇAMENTO: QUÍMICA

By | Lançamentos 2019/2020 | No Comments

Química – Princípios e Aplicações
1ª edição

Luís Fernando Pereira, Emiliano Chemello, Patrícia Proti e Carlos Alberto Ciscato

Este lançamento traz os conteúdos da disciplina com uma abordagem direta e tradicional.

O professor conta com um programa de atividades completo e gradual, que ajuda a preparar os alunos para os desafios do vestibular e do Enem e que atende às exigências da BNCC.

Assista aos vídeos gravados pelos autores:

Material composto por:

  • Volume único, dividido em 3 partes para facilitar o manuseio e transporte;
  • Livro digital interativo;
  • Caderno de Revisão;
  • Caderno Enem;
  • Suplemento para o professor com todas as resoluções das mais de 2.000 questões!
  • Com Caderno BNCC e ITINERÁRIOS FORMATIVOS – onde você encontra indicações das competências e habilidades da BNCC por capítulo e sugestões de atividades investigativas que podem trabalhar os quatro eixos dos itinerários formativos.Se sua escola adota livros didáticos para o Ensino Médio, procure o consultor da Editora Moderna da sua região acessando: https://www.moderna.com.br/contatos/enderecos/

Pontos fortes da obra:

  • Competências e habilidades da BNCC apontadas ao longo dos capítulos;
  • Cerca de 2.200 questões de vestibulares e Enem, organizadas por grau de complexidade;
  • Exercícios no final dos capítulos, para a revisão dos conteúdos trabalhados.

Acesse o site da Moderna para saber mais:

Clique aqui!

NOVA EDIÇÃO| Estudar História – Das origens do homem à era digital

By | Lançamentos 2019/2020 | No Comments

As últimas décadas foram marcadas por uma forte renovação das atividades docentes. Os currículos escolares foram reformulados, enfatizando o desenvolvimento das habilidades e competências; as avaliações tomaram caráter formativo; as metodologias ativas ganharam relevância nos processos de ensino-aprendizagem; a formação dos jovens para a cidadania tornou-se um dos pilares das práticas educativas e as novas tecnologias digitais penetraram o ambiente escolar. O ensino de História, em particular, passou a valorizar o debate historiográfico, a produção do conhecimento histórico e o desenvolvimento da capacidade do jovem de mobilizar seu conhecimento sobre o passado para analisar o presente.

Se por um lado todas essas mudanças são bem-vindas e dão mais dinamismo e sentido à Educação, por outro sobrecarregam os professores, cujos salários e condições de trabalho nem sempre acompanharam o aumento do volume de tarefas e responsabilidades. Por essa razão, a disponibilidade de materiais didáticos que deem suporte ao trabalho docente, assegurando ao educador recursos para desenvolver suas aulas sem, no entanto, engessar seu curso, tornaram-se essenciais.

Ciente disso, pensamos a coleção Estudar História para ser usada de maneira bastante flexível. Nela, cada professor encontrará à sua disposição uma variedade suficientemente grande de propostas e textos que lhe permitam traçar o percurso pedagógico que mais lhe convier, sem prendê-lo a um roteiro de trabalho pré-determinado.

Em todos os volumes há atividades de verificação de leitura na sessão Recapitulando, colocadas estrategicamente ao final de um bloco de informações para que o professor possa planejar desde uma aula invertida, aproveitando o tempo em sala para discussões, atividades criativas e propostas interativas como as sugeridas na sessão Fazendo e Aprendendo, até fazer uma avaliação diagnóstica da habilidade de leitura e compreensão de texto dos seus alunos. Outra preocupação foi garantir, na sessão História em Construção, que os estudantes entrem em contato com os métodos de produção do conhecimento histórico e sintam-se estimulados a problematizar a realidade, buscando no passado explicações possíveis para as situações que vivenciam hoje. Para essa finalidade, inclusive, todos os capítulos apresentam uma proposta de atividade na qual o aluno precise estabelecer relações entre passado e presente.

Tomando a Base Nacional Comum Curricular como norte, a coleção também oferece propostas interdisciplinares e atividades que desenvolvam as habilidades cognitivas do jovem, instando-o a ler e interpretar gráficos e tabelas, mapas, imagens de diversos tipos e textos de vários gêneros. Além disso, valoriza os trabalhos em equipe, a atividade de pesquisa e a aprendizagem de procedimentos a fim de desenvolver, aos poucos, a autonomia do estudante.

Deste modo, nosso propósito foi firmar uma relação de parceria com os colegas de profissão, reconhecendo sua competência para gerenciar o próprio curso, mas solidárias às dificuldades práticas que marcam a carreira docente. Esperamos estar com vocês nessa jornada!

Patrícia e Anna

Conheça a obra!

Patrícia Ramos Braick

Patrícia Ramos Braick

Autora do livro Estudar História

Mestre em História (área de concentração: Histórias das Sociedades Ibéricas e Americanas) pela PUC-RS. Ex-professora da educação básica em Belo Horizonte/MG.

Anna Barreto

Anna Barreto

Autora do livro Estudar História

Mestre em História Social pela USP. Professora da educação básica nas redes pública e privada de São Paulo/SP, desde 1987.

Geração Digital

By | Educação inovadora | No Comments

É consenso que nossos alunos nasceram na área digital. Eles estão acostumados a estímulos de aplicativos e plataformas digitais, interagindo a redes sociais. São os chamados geração Z, que estão na idade de 10 a 24 anos.

Saiba mais

As relações digitais são tão importantes para os jovens quanto o contato pessoal. Eles fazem parte da geração digital, que é aquela que mais tem acesso à informação.

Compreender essa mudança é compreender o que pode ser feito na Educação e o quanto ela impacta de fato o aprendizado, compreendendo os desafios e superando dificuldades.

Como inserir a escola nesse novo contexto

O ponto de partida é contextualizar esse mundo a realidade escolar, usar ferramentas que aproxime o mundo dos estudantes a sala de aula, permitindo reflexão sobre temas essenciais como Internet segura, uso consciente das redes sociais, notícias falsas e dados.

Questões que permeiam o mundo digital são possíveis de mudanças de paradigmas e culturais. São pontos de trabalhos essenciais a sala de aula, fazendo os estudantes compreender que a tecnologia tem o seu lado benéfico e também o lado não benéfico que pode comprometer os estudos e interferir em sua vida pessoal como os casos de cyberbullying.

Pontos de atenção

Alguns pontos precisam de atenção, especialmente o ensino de leitura na esfera digital, que é repleto de multimodalidade, como imagens e vídeos. Sendo necessário trabalhar esses textos em sala de aula, diminuindo dificuldades e trabalhando a multimodalidade.

Um exemplo disso é o trabalho com os diferentes gêneros digitais como memes, charges, e também com as redes sociais como Twitter, Facebook, Instagram que possuem finalidades diferenciadas.

O Twitter traz uma quantidade mínima de caracteres, o Instagram trabalha a imagem, fomentando e intensificando que os alunos se tornem responsivos ativos, o Facebook cabe ambas modalidades sem o limite de caracteres.

Sobre a autora do post

Débora Garofalo

Débora Garofalo

Colunista

Débora Garofalo é Assessora Especial de Tecnologias da Secretaria Estadual de Educação de São Paulo (SEE SP) e professora da rede pública de ensino de São Paulo. Formada em Letras e Pedagogia, mestranda em Educação pela PUC-SP, vencedora na temática Especial Inovação na Educação no Prêmio Professores do Brasil, Vencedora no Desafio de Aprendizagem Criativa do MIT e considerada uma das dez melhoras professoras do mundo pelo Global Teacher Prize, o Nobel da Educação.

Nova maneira de aprender

Nossos estudantes aprendem e interagem de maneira diferenciada, conectados a esse novo mundo. Um desses caminhos é o diálogo, chamando a atenção para o que está sendo compartilhado e a forma que estão interagindo com as ferramentas digitais.

Abordar novos desafios e estudos de casos é essencial para o processo de aprendizado, algumas ferramentas auxiliam nesta transição, uma delas é o google classroom que permite uma grande interação com o conteúdo a ser trabalhado, interagindo inclusive com a Internet sem a necessidade de sair da tela.

Essas ações são importantes para mudança de pensamento, permitindo que nossos discentes não sejam somente consumidores de tecnologia, mas, também produtores delas ao terem oportunidade de vivenciarem e criarem conteúdo, ganhando autonomia e desenvolvendo o protagonismo juvenil.

Ferramentas digitais

O Caminho perpassa inserir ferramentas digitais ao planejamento e ao cotidiano escolar e vale inserir algumas que permitem criação, autonomia, como vídeos, produção de games.

Ações que independem de uma máquina física e pode ser incorporado aos aparelhos de tablets e celulares dos discentes, ajudando a compreender que esses recursos são aliados ao seu processo de aprendizagem, além de auxiliar no desenvolvimento de habilidades como colaboração, empatia e resoluções de problemas.

Benefícios

A tecnologia tem de ser encarada como uma propulsora a aprendizagem, capaz de alavancar a aprendizagem, e permitindo autoria e personalização do ensino com interação contribuindo para que os alunos vivenciem a aprendizagem ao mesmo em que colabora com a aprendizagem cognitiva.

E você querido professor, quais ações tem realizado em sua de aula para integrar a tecnologia ao contexto escolar?

Um abraço,

Débora