fbpx

5 séries/filmes para explorar Cultura Digital com os estudantes

By 24/09/2021ATIVAR

Olá, prof! Se você me acompanha há algum tempo por aqui, já leu sobre a competência geral 5 da BNCC: Cultura Digital, não é? Caso esteja chegando agora, não tem problema, a gente reforça exatamente o que a Base Nacional Comum Curricular nos diz sobre essa competência:

Compreender, utilizar e criar tecnologias digitais de informação e comunicação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva. Essa competência reconhece o papel fundamental da tecnologia e estabelece que o estudante deve dominar o universo digital, sendo capaz, portanto, de fazer um uso qualificado e ético das diversas ferramentas existentes e de compreender o pensamento computacional e os impactos da tecnologia na vida das pessoas e da sociedade.

Desse modo, tudo o que se refere às tecnologias digitais, como algoritmo, inteligência artificial, programação, redes sociais, ética e segurança em rede, interessa à educação básica. Mas nem sempre a inspiração e as ideias de formas sobre como conectar essas discussões às nossas áreas do conhecimento surgem, não é verdade? Que tal buscar repertório em filmes e séries? Separei uma lista com cinco indicações pra você assistir e se julgar pertinente, trazer para a discussão com os estudantes. Vamos lá?

Black Mirror (série)

Esta série antológica de ficção científica explora um futuro próximo onde a natureza humana e a tecnologia de ponta entram em um perigoso conflito. A série, disponível no Netflix, conta com episódios independentes. Dessa forma, sugiro um em específico, chamado Nosedive, episódio 1 da temporada 3. Nele, são explorados a relação das pessoas com as curtidas e o valor que cada indivíduo passa a ter na sociedade perante seu status na rede.

O Dilema das redes (filme)

Especialistas em tecnologia e profissionais da área fazem um alerta: as redes sociais podem ter um impacto devastador sobre a democracia e a humanidade. O filme, disponível no Netflix, explora o acesso de dados dos usuários via algoritmo, por empresas como o Google. A série chama a atenção sobre um ponto em específico: tudo o que faz online está sendo rastreado e observado. Como lidar com isso?

Better than us (série)

Imagine robôs humanoides vivendo entre nós. Como seria esse mundo? O que poderia acontecer? A série, disponível no Netflix pode não ser ideal a se trabalhar na íntegra com os estudantes (ainda que a classificação indicativa seja de 14 anos, a série contém discussões fortes, envolvendo prostituição e terrorismo, por exemplo), é rica em reflexões sobre um futuro onde os robôs conviveriam conosco.

O círculo (filme)

Com classificação indicativa de 12 anos e disponível no Netflix, o filme O círculo é estrelado por Emma Watson (queridinha de muitos adolescentes). O foco do filme é a vigilância na internet, trazendo discussões também sobre privacidade e ética.

O quinto poder (filme) 

Ao fundar o polêmico site WikiLeaks, o personagem Julian Assange conta com o apoio do amigo Daniel Domscheit-Berg. O objetivo da página é fornecer uma plataforma para que denunciantes, anonimamente, exponham segredos do governo e crimes corporativos. Com o crescimento do site, a dupla logo passa a dar mais furos noticiosos do que a mídia convencional. O grau de influência de Assange aumenta, e a relação entre os dois amigos acaba bastante abalada. O principal alerta do filme trata da a vulnerabilidade das informações postadas na Internet.

Agora é só escolher as produções que mais te chamaram a atenção e assistir, sempre pensando em formas de expandir seu repertório e aproveitar as discussões propostas para incluir no seu planejamento.

Um super abraço digital,

Prof. Emilly Fidelix | @seligaprof

Sobre a autora do post

Emilly Fidelix

Emilly Fidelix

Colunista

Emilly Fidelix é criadora do @seligaprof, onde impacta milhares de professores de todo o Brasil, palestrante e formadora de professores. É doutoranda em História Cultural (UFSC), especialista em Tecnologias, Comunicação e Técnicas de Ensino (UTFPR), colunista no blog Redes Moderna e professora de pós-graduação no Instituto Singularidades. Atua nas áreas de metodologias ativas, storytelling aplicado à educação e BNCC.