fbpx

Educação, arte e cultura e caminhos para a aprendizagem

A educação pode romper barreiras e ultrapassar os limites da nossa sala de aula, seja na alfabetização ou outro segmento. Há um mundo todo a ser explorado, onde diferentes narrativas e linguagens se misturam, se interligam, onde a educação, arte e cultura, são um trio poderoso para a aprendizagem dos nossos estudantes. Dessa forma, o mundo é uma imensa sala de aula, um imenso laboratório para conhecer, experimentar e aprender!

Para inspirar vocês, professores e professoras, alfabetizadores, a pensarem e programarem em suas aulas propostas que vão além das atividades escolares, que motivem seus alunos a fazer descobertas, trago aqui algumas possibilidades:

Cantar e se encantar!

Você tem explorado a música em suas aulas? Já enviou uma playlist bem bacana para eles? Quando foi a última vez que você cantou com seus alunos? Ainda está pensando que isso é só com o professor especialista na área de arte?

Ao responder essas perguntas talvez vocês professores, também percebam que nem sempre essa atividade tão prazerosa, que nos faz tão bem, está presente em nossos planejamentos. Em tempos de pandemia o “quem canta seus males espanta”, nunca fez tanto sentido. Como é bom cantar com os pequenos. É uma alegria contagiante que envolve a todos! Então, nada melhor que oferecer a eles suas propostas e sugestões musicais, para curtir em sala de aula, virtual ou presencial, e no contexto familiar.

Ofereça a eles uma playlist bem especial, para montar uma programação de cantoria para todo o ano. Veja abaixo essa sugestão de playlist gratuita, de MPB para crianças. Tenho certeza de que você também vai gostar, e vai cantar muito, pois é maravilhosa! São 107 músicas para você selecionar e montar a playlist para os alunos. Mas você pode propor também que as crianças criem suas próprias playlists, por exemplo: músicas para brincar; para relaxar; para ser feliz etc.

MPB para crianças: https://open.spotify.com/playlist/37i9dQZF1DXbnTV8GtwMLQ

Fazendo música!

Mas que tal as crianças produzirem suas próprias músicas? Mandem para seus alunos o link desse aplicativo, o Chrome Music Lab. É incrível! Usando um celular (com o toque de um dedo) ou computador ( usando o mouse), dá para tocar diferentes instrumentos em formato digital, gravar e fazer download de suas composições. Além de super divertido, o aplicativo é colorido, bonito, com cara de criança, tudo muito intuito, fácil de usar e com muitas variações de estilos musicais, instrumentos, em diferentes apresentações. Nossas crianças, de consumidores a produtores. Você pode propor uma grande apresentação da turma! Em sala de aula isso pode apoiar e estimular as crianças na criação de seus próprios instrumentos com sucata , por exemplo.

https://musiclab.chromeexperiments.com/Experiments

Teatro para todos!

Seus alunos já foram ao teatro? Infelizmente essa não é a realidade da maioria dos alunos do Brasil. O melhor é ir presencialmente, mas podemos também levar um pouco da magia do teatro para as nossas crianças, em formato digital, o que pode se tornar uma atividade cultural permanente na rotina em nossas aulas.

Na Internet há várias opções gratuitas, mas deixo aqui duas, que tenho certeza você e seus alunos vão adorar. Aproveite para propor aos alunos a encenação de pequenas peças. Que tal encenar com eles a história da “Dona Baratinha” ou a “Festa no céu”, para começar.

· A Bela Adormecida | Mostra Giramundo 50 anos| https://youtu.be/yLhWbN8AWkY

· Tá na hora do Teatro – Cia Arte & Manhas| https://www.youtube.com/channel/UCn0kXgFQr4r91FycGnAidqA/featured

Fotografia através dos olhos de nossas crianças!

A fotografia em sala de aula não é novidade. As próprias crianças já fotografam antes mesmo de entrar na escola, em família, usando o celular dos pais e ou responsáveis, quando não o seu mesmo. Mas podemos ampliar as possibilidades do uso da fotografia, valorizando os “olhares” das nossas crianças, nossos alunos. Um celular para fotografar junto com um questionamento aos alunos, pode favorecer reflexões e trazer grandes revelações para o debate.

Por exemplo: Fotografe , “O que você gosta e o que não gosta em nossa escola?”

Essa forma de explorar a fotografia como registro trazendo o olhar sensível das crianças, é uma das ações do projeto Observatório da Primeira Infância, onde elas são convidadas a fotografar sua cidade registrando aquilo que elas gostam ou não durante uma caminhada. Imaginem como pode ser revelador enxergar a cidade pela perspectiva delas, para planejamento e gestão da cidade.

Mas também é riquíssimo explorar o olhar da criança na fotografia na arte. Você pode sugerir que fotografem dentro de um determinado tema, que se fotografem para uma exposição virtual ou presencial, e apresentar a elas como as crianças vem sendo retratadas no mundo através da arte. São muitas as possibilidades.  

Essas propostas são uma pequena amostra dentro das muitas que a combinação educação, arte e cultura pode proporcionar. A partir delas, na alfabetização ou em outro segmento, podemos conjuntamente explorar a leitura, a escrita, a interpretação, em atividades em todo as etapas de desenvolvimento. Por exemplo, escrever os nomes das músicas na playlist musical, fazer legendas para as fotos, ler os diálogos dos personagens na peça teatral, fazer também o registro escrito do que descobriu ao fotografar, e muito muito mais.

Esse é o movimento:

Conhecer – experimentar – refletir – criar – aprender

E vocês professoras, professores, o que vem fazendo e explorando nessa imensa sala de aula que o mundo nos proporciona? Espero que gostem das minhas sugestões. Penso que a aprendizagem, o conhecimento, vem do ver e sentir o mundo com os olhos da educação, arte e cultura.

Ainda vamos ver, aqui na Olhares, o cinema, a literatura, a dança, artes plásticas, em propostas para explorar e experimentar com os alunos.

Um forte abraço e até a próxima! Muito obrigada!

Mara Mansani 

Sobre a autora do post

Mara Mansani

Mara Mansani

Colunista

Professora há quase 30 anos, lecionou em vários segmentos, da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, passando também pela Educação de Jovens e Adultos (EJA). Recebeu o Prêmio Educador Nota 10, na área de Alfabetização, com o projeto Escrevendo com Lengalenga.