fbpx

Economia circular e reciclagem

Um grande desafio para a economia mundial é compatibilizar crescimento com sustentabilidade ambiental. Esse desafio se desdobra em três questões:

1. Como garantir o suprimento de matérias primas para a produção crescente de bens de consumo?

2. Como garantir que os resíduos da produção e produtos descartados após o uso não contaminem o meio-ambiente?

3. Como reduzir as emissões de gases do efeito estufa?

A produção industrial, hoje, está baseada em extração de recursos; produção de bens e descarte ou reciclagem de resíduos e de bens pós-consumo. A Economia Circular propõe que o projeto de novos produtos seja feito de modo a garantir a possibilidade de reciclagem total dos materiais utilizados na sua fabricação e/ou a reutilização de suas partes. Na economia circular nada morrerá, tudo será reaproveitado ou reciclado. No limite, não haverá mais lixo, apenas materiais a serem reciclados e reutilizados. O que não puder ser reciclado deverá ser biodegradável sem deixar resíduos tóxicos.

A indústria gráfica não está tão longe de migrar para esse novo modelo. No Brasil, papel, cartão e papelão são oriundos de fonte renovável – árvores cultivadas. Os produtos impressos, após seu uso, já são largamente reciclados (68% no Brasil, 72,5% na Europa). Já estão disponíveis tintas e vernizes com componentes renováveis e que possam passar pelo processo de reciclagem. À medida em que clientes e consumidores finais compreenderem o significado de economia circular, espera-se que passem a preferir produtos projetados segundo esse conceito. A campanha Two Sides apoia e encoraja iniciativas que ajudem a fechar esse ciclo virtuoso.

Equipe Two Sides Brasil

Para saber mais:
www.twosides.org.br
www.ideiacircular.com