ANUÁRIO DA EDUCAÇÃO MOSTRA QUE ALGUNS MUNICÍPIOS TÊM ATÉ SETE VEZES MAIS DINHEIRO PARA EDUCAÇÃO DO QUE OUTROS

Parceria da Moderna com o Todos Pela Educação, Anuário Brasileiro da Educação Básica 2019 traz análises sobre os temas das 20 metas do PNE e aponta os principais desafios a serem enfrentados para o País avançar na qualidade da Educação

Enquanto um município localizado no Rio Grande do Sul destinava cerca de R$ 19,5 mil por aluno em 2015, havia outro município no Maranhão dispondo de apenas R$ 2,9 mil. Essa diferença, de quase sete vezes, é apontada na oitava edição do Anuário Brasileiro da Educação Básica 2019, parceria do Todos Pela Educação com a Moderna.

A disparidade se repete entre os estados. Enquanto São Paulo recebe a maior média anual de recursos vinculados à Educação por aluno, R$ 6,5 mil; no extremo oposto está o Maranhão, que dispõe de apenas R$ 3,5 mil por aluno ao ano.

A publicação, organizada segundo os temas das metas do Plano Nacional de Educação (PNE), traz mais de 200 gráficos e tabelas com indicadores educacionais e ainda análises inéditas sobre as políticas públicas prioritárias para a melhoria da qualidade da Educação Básica brasileira em médio prazo.

Em 2019, o PNE chega à metade do seu tempo de vigência. “Era esperado que, neste momento, já houvesse um avanço significativo no alcance das metas mais estratégicas para a melhoria da Educação brasileira”, afirma o texto de abertura do Anuário.

Segundo os editores da publicação, além de reforçar a importância do PNE como referência para as políticas públicas educacionais, é fundamental implementar uma agenda de medidas baseadas em evidências, experiências bem-sucedidas e com visão de médio e longo prazo.

Anuário Brasileiro da Educação Básica 2019 está disponível online para download gratuito nos sites da Moderna e da Fundação Santillana. Lá, você também encontra outras obras que abordam a Educação sob diferentes perspectivas, sempre com distribuição gratuita.

Clique no livro abaixo para acessar a publicação: