Um bom clima na sala de aula é capaz de atenuar a influência da condição socioeconômica dos estudantes sobre a aprendizagem

By 27/04/2016Avaliação

O título do post de hoje é a conclusão a que o Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos) chegou ao analisar o desempenho na aprendizagem de estudantes de 15 anos de idade dos países membros da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

O estudo considerou as opiniões de estudantes sobre o quanto suas salas de aula são propícias à aprendizagem. As perguntas que definiram esse indicador questionavam se os alunos ouviam o que o professor dizia, se havia barulho e desordem na sala, se o professor tinha que esperar muito tempo até que os alunos se aquietassem, se os estudantes conseguiam trabalhar bem em sala e se os mesmos demoravam longo período de tempo para começar a trabalhar após o início da aula.

As percepções dos estudantes foram combinadas com seus resultados na avaliação da competência leitora, realizada em 2009. A relação mostrou, sem surpresas, que o clima disciplinar em sala de aula e na escola afetam (e muito) o desempenho na avaliação.

Assim, nas salas de aula e escolas com mais problemas disciplinares, o ambiente estabelecido se mostrou menos propício à aprendizagem, uma vez que os professores têm de gastar mais tempo criando um ambiente ordeiro antes de iniciar a aula. O inverso também se mostrou verdadeiro, pois em 55 países e economias que participaram do Pisa, onde os estudantes de escolas em que o clima de sala de aula é mais propício à aprendizagem, um melhor desempenho foi observado.

Juliana Miranda é gerente de Avaliação da Avalia Educacional e nossa parceira para o tema Avaliação

aprendizagem indisciplina

Escolas com climas disciplinares mais positivos são também aquelas com outras características que estão intimamente relacionadas a um melhor desempenho. Por exemplo, essas escolas tendem a ter populações de estudantes mais favorecidos. Em 36 países e economias, há uma relação positiva entre o clima disciplinar das escolas e o perfil socioeconômico médio de seus estudantes.

Mas não é só isso, a novidade do estudo foi descobrir que mesmo depois de considerar o contexto socioeconômico e o perfil demográfico dos estudantes e das escolas e suas várias outras características (tais como recursos educacionais, perfil de gestão, modalidades de avaliação etc.), as escolas com clima disciplinar mais positivo ainda tendiam a ter melhor desempenho.

Isso significa que o clima disciplinar, portanto, é uma das poucas características relacionadas à escola que mantém uma relação positiva significativa com o desempenho em todos os países analisados, mesmo depois de se considerar a realidade dos alunos e outras características da escola. Portanto, o estabelecimento de sólidas condições de aprendizagem em sala de aula ameniza dificuldades causadas pelo status socioeconômico sobre o desempenho do estudante, fator considerado como o de maior impacto nas condições de sucesso ou de fracasso escolar dos alunos.

Vale destacar, finalmente, que a imagem de “disciplina” colocada no indicador do Pisa não se relaciona a uma sala de aula necessariamente rígida, com carteiras enfileiradas em que os alunos se sentam em silêncio observando passivamente o que explica seu professor. A ideia de disciplina aqui colocada é, independentemente da organização física, um ambiente em que o trabalho pedagógico é central na utilização de tempo.

Escrito por Juliana Miranda

Bacharel em Ciências Sociais/USP e mestre em Educação/PUC-SP e gerente de Avaliação da Avalia Educacional

Referências bibliográficas: