fbpx

Nota 1.008,3 do Enem é possível?

By 11/01/2016Avaliação

Na última sexta-feira, dia 8 de janeiro, o Inep/MEC divulgou as notas individuais dos alunos que participaram da edição de 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. Para surpresa de todos, alguns alunos bateram um recorde de desempenho e receberam a nota 1.008, 3 na prova de competência matemática.

Mas será que essa nota está correta? É possível tirar mais de mil pontos no Enem?

Sim, está tudo certo. E sim, é possível tirar mais de mil pontos no Enem, já que o desempenho dos participantes é calculado por meio do uso de modelos estatísticos da Teoria de Resposta ao Item (TRI).

Para compreender o ocorrido é preciso ponderar que a TRI não considera simplesmente a contagem da quantidade de questões que um aluno responde corretamente, mas sim, coloca os alunos em uma escala de proficiência, como uma reta numérica, em que os números não são a quantidade de acertos, mas sim posições que os alunos conseguem alcançar.

Juliana Miranda é gerente de Avaliação da Avalia Educacional e nossa parceira para o tema Avaliação

Assim como outros tipos de escala (como a Celsius de temperatura, ou a Richter, da magnitude de sismos da Terra), a de proficiência não tem limites inferiores e superiores impostos e imutáveis, mas sim, valores de referência determinados pelos níveis de dificuldade das questões mais fáceis e mais difíceis da prova aplicada.

Além disso, na TRI leva-se em conta a coerência das respostas do participante diante do conjunto das questões que formam a prova. Portanto, em uma situação hipotética, se um aluno acerta apenas as questões mais fáceis da prova e responde ao acaso uma questão mais difícil, seu desempenho não é favorecido por esse “chute”, pois sua resposta não foi coerente. Você pode entender um pouco mais sobre a Teoria de Resposta ao Item em um post que escrevi aqui para o blog, clicando aqui.

Neste ano, portanto, os alunos que tiraram nota acima dos mil pontos em matemática acertaram as questões mais difíceis do teste e responderam de maneira coerente as questões fáceis, médias e difíceis presentes na edição de 2015. Tão coerentes que, provavelmente, acertaram a todas as questões da prova.

E por que o Enem não simplesmente conta os acertos da prova, já que esta seria uma metodologia mais fácil para todo mundo entender?

A justificativa para a opção pela Teoria de Resposta ao Item para o Enem é devido a necessidade de comparabilidade das notas dos alunos entre diferentes edições do Exame. Apenas com a TRI é possível acompanhar ano a ano se o desempenho dos alunos tem melhorado ou piorado e, a partir daí, desenvolver medidas pedagógicas e políticas dirigidas aos diferentes sistemas educacionais.

Escrito por Juliana Miranda

Bacharel em Ciências Sociais/USP e mestre em Educação/PUC-SP e gerente de Avaliação da Avalia Educacional