IOEB: um novo indicador sobre as oportunidades da educação brasileira

By 15/10/2015Avaliação

Há algumas semanas, no post sobre o IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), conversamos sobre como indicadores são criados em diferentes áreas do conhecimento para sintetizar uma característica macro, normalmente difícil de ser captada diretamente, com o intuito de facilitar a compreensão e permitir o acompanhamento ao longo do tempo das condições e da qualidade daquilo que se mede – o IDEB, por exemplo, tem o objetivo específico de apresentar, em uma escala de zero a dez, a qualidade das escolas no que tange seus resultados de aprendizagem e de fluxo de aprovação dos alunos.

Contudo, a qualidade de um sistema educacional é influenciada e pode ser diagnosticada por muitas outras variáveis além das escolhidas para o cálculo do IDEB. Pensando nisso, na última semana foi divulgado um novo indicador relacionado à educação: o Índice de Oportunidades da Educação Brasileira – IOEB, criado pelo Centro de Liderança Pública e assinado pelos mesmos autores do IDEB (Reynaldo Fernandes, ex-presidente do Inep, e Fabiana de Felicio, ex-diretora de estudos educacionais do Inep).

Juliana Miranda é gerente de Avaliação da Avalia Educacional e nossa parceira para o tema Avaliação

Como o próprio nome diz, o objetivo do IOEB é sintetizar, em um único número, de fácil compreensão, as oportunidades educacionais disponibilizadas às crianças e jovens de todas as localidades do país (municípios, estados e Distrito Federal), por qualquer rede de ensino (pública ou privada).

As informações compreendidas pelo IOEB para diagnóstico das oportunidades educacionais são:

DADOS DE RESULTADO EDUCACIONAL:

  • IDEB anos iniciais do ensino fundamental
  • IDEB anos finais do ensino fundamental
  • Taxa líquida de matrícula do ensino médio

DADOS DE INSUMOS E PROCESSOS EDUCACIONAIS:

  • Escolaridade dos professores
  • Número médio de horas-aula/dia
  • Experiência dos diretores
  • Taxa de atendimento na educação infantil

CONTROLE DE BACKGROUND FAMILIAR:

  • Escolaridade média dos pais

Bem mais completo que o IDEB, não é?

A escolha dessas informações para constituição do IOEB não é aleatória. Para desenvolver um indicador tão importante, é preciso considerar dados oficiais (como os do Censo Escolar, das avaliações educacionais e os coletados pelo IBGE), objetivos, que sejam publicados periodicamente em um intervalo máximo de até dois anos.

Há algumas especificidades importantes do IOEB que o diferencia e o faz complementar o IDEB e nossa capacidade de avaliação sobre o sistema educacional. Vamos lá:

O IOEB, portanto, foi construído a partir do reconhecimento de que os resultados dos alunos nas avaliações dependem tanto das oportunidades oferecidas no âmbito da comunidade, como também de suas características individuais e familiares. Cuidar de toda essa cadeia que determina o resultado do indicador passa a ser uma prioridade para os gestores educacionais.

Para saber mais, acesse o site http://www.ioeb.org.br e conheça os resultados dos municípios e estados, crie comparações e verifique tendências de cada um dos aspectos que formam o indicador.

Nosso papel agora é estudar e divulgar o IOEB a toda comunidade escolar, para que a sociedade possa se apropriar das informações publicadas e cobrar governantes e gestores do sistema por melhorias em todos os aspectos da estrutura educacional que atende nossas crianças e jovens.

Escrito por Juliana Miranda

Bacharel em Ciências Sociais/USP e mestre em Educação/PUC-SP e gerente de Avaliação da Avalia Educacional

Referência bibliográfica:

CLP. Índice de Oportunidades da Educação Básica. Disponível em: http://www.ioeb.org.br/arquivos/metodologia-ioeb.pdf. Acesso em: 10 out. 2015.