Tag

Literatura Archives - Editora Moderna

10 LIVROS PARA TRABALHAR A CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017

By | Literatura, Novidades | No Comments

Abaixo, selecionamos 10 opções de livros paradidáticos que ajudarão a desenvolver um projeto interdisciplinar completo na escola.

Enaltecer a preservação do meio ambiente e entender a riqueza dos biomas brasileiros, valorizando a formação do aluno é o objetivo principal da Campanha da Fraternidade de 2017 e das escolas que aderem ao movimento. A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) definiu o tema “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a Criação” para a Campanha da Fraternidade do próximo ano.

Para ajudar escolas e professores da Educação Infantil e do Ensino Fundamental que aderem ao movimento, a Editora Moderna preparou um catálogo especial com diversas obras paradidáticas, clique aqui e confira.

Abaixo, selecionamos 10 opções de livros paradidáticos que ajudarão a desenvolver um projeto interdisciplinar completo na escola.

EDUCAÇÃO INFANTIL

MIL PÁSSAROS PELOS CÉUS

Série Vou Te Contar!
Editora Salamandra

Autor: Ruth Rocha
Ilustração: Rogério Coelho
Faixa etária: A partir de 06 anos
Indicação: Alfabetização (EI)
Área: Ficção
Assunto: Amizade, Animais, Música, Poesia
Número de páginas: 32
ISBN: 9788516063023

Sinopse: Qual o segredo, meu Deus, que medo?! O que fez todos os pássaros fugirem de Passaredo? Que coisa triste uma cidade assim: com pássaros no nome e nenhum em seus jardins! Mas o doutor Andrade, o sábio mais sábio da cidade, vai descobrir toda a verdade!

A PRIMAVERA DA LAGARTA

Série Vou Te Contar!
Editora Salamandra

Autor: Ruth Rocha
Ilustração: Madalena Elek
Faixa etária: A partir de 06 anos
Área: Ficção
Número de páginas: 32
ISBN: 9788516065331

Sinopse: Bem no meio da clareira, debaixo da bananeira, os bichos da floresta resolveram fazer uma festa. Mas não era festa, não! Era um comício do Sr. Camaleão. Todos protestavam contra a feiura da lagarta. Só não contavam com a sabedoria da mãe-natureza que na primavera espalha sua beleza!

ENSINO FUNDAMENTAL 1

ESTA CASA É MINHA!

Série Ana Maria Machado
Editora Moderna

Autor: Ana Maria Machado
Ilustração: Elisabeth Teixeira
Trabalho interdisciplinar: Ciências, Geografia, História
Indicação: 4º Ano (EF1), 5º Ano (EF1)
Área: Ficção
Tema transversal: Pluralidade Cultural, Ética, Meio Ambiente, Trabalho e Consumo
Número de páginas: 36
ISBN: 9788516061746

Sinopse: Paula e Beto viviam com seus pais em uma cidade grande, em um apartamento sem quintal. Certo dia, as coisas mudaram: o pai deles decidiu comprar um terreno à beira da praia, repleto de bichos, de micos, lagartos e maritacas. A família estava eufórica com sua casa nova, e não faltavam ideias para a reforma: retirar o mato da frente da casa para fazer um gramado, cimentar a parte de trás para construir uma churrasqueira… Eis que tudo muda quando o caseiro Zé Juca ficou responsável pelos cuidados da casa. Será que Paulo e Beto vão entender que aquela casa, aquele terreno tão maravilhoso também era a casa dos micos, dos lagartos, dos pássaros?

ARARA, TUCANO, BORDADOS NO PANO

Série Adivinhas bordadas
Editora Moderna

Autor: Fábio Sombra
Ilustração: Sabina Sombra
Faixa etária: A partir de 05 anos
Trabalho interdisciplinar: Arte, Ciências, Literatura
Indicação: 1º Ano (EF1), Pré-escolar (EI)
Área: Ficção
Assunto: adivinhas, animais, aves, poesia
Tema transversal: Pluralidade Cultural
Número de páginas: 48
ISBN: 9788516084417

Sinopse: Quem não gosta de decifrar uma boa adivinha? Ainda mais se ela nos for apresentada em forma de versos divertidos e bem rimados. Este livro é sobre as aves brasileiras. São dezesseis pássaros que habitam nossas matas e campos. E você? Será que consegue adivinhar quais são elas?

GUERRA NO RIO

Coleção Girassol
Editora Moderna

Autor: Ganymédes José
Ilustração: Grego
Faixa etária: A partir de 07 anos
Indicação: 2º Ano (EF1), 3º Ano (EF1)
Área: Ficção
Assunto: Poluição dos rios, Preservação do ambiente
Tema transversal: Saúde, Meio Ambiente
Número de páginas: 64
ISBN: 8516031470

Sinopse: O livro possibilita ao leitor pensar no desespero dos habitantes de um rio que está sendo destruído pela poluição. Em uma ação desesperada, os peixes, as plantas e as pedras do rio unem-se para enfrentar o mal causado pelos homens.

AQUECIMENTO GLOBAL NÃO DÁ RIMA COM LEGAL

Saber em cordel
Editora Moderna

Autor: César Obeid
Trabalho interdisciplinar: Ciências, Português
Indicação: 1º Ano (EF1), 2º Ano (EF1), 3º Ano (EF1), 4º Ano (EF1), 5º Ano (EF1)
Área: Não Ficção
Tema transversal: Pluralidade Cultural, Ética, Meio Ambiente
Número de páginas: 48
ISBN: 9788516059729

Sinopse: Neste livro você vai conhecer, de uma maneira bem diferente, o tema do aquecimento global. Suas causas, consequências e soluções são contadas por meio de diversas modalidades de estrofes da literatura de cordel. Além disso, textos escritos em prosa vão aprofundar seus conhecimentos para além das geleiras derretidas, dos ciclones e da vida dos ursos polares. A xilogravura foi a forma escolhida para mostrar este assunto tão importante e atual de uma maneira envolvente e cheia de rimas! Boa leitura!

O SURFISTA E O SERTANEJO: ENCONTRO DO MAR COM O SERTÃO

Encontros brasileiros
Editora Moderna

Autor: Ricardo Dreguer
Trabalho interdisciplinar: Geografia, História, Português
Indicação: 3º Ano (EF1), 4º Ano (EF1), 5º Ano (EF1), 6º Ano (EF2), 7º Ano (EF2)
Área: Não Ficção
Tema transversal: Pluralidade Cultural, Meio Ambiente
Número de páginas: 48
ISBN: 9788516050863

Sinopse: O que fazer para enfrentar esses desafios, fazer amigos e curtir as diferenças? Beto, um garoto surfista que ama o mar, precisa abandonar sua cidade e se mudar para o sertão nordestino. Lá, ele encontra João, um sertanejo que tem um cabrito de estimação. Quer saber como essa história continua? Então, venha participar desse encontro do mar com o sertão…

ENSINO FUNDAMENTAL 2

OBRA FINALISTA DO PRÊMIO JABUTI 2016

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: UMA QUESTÃO DE CONSCIÊNCIA

Coleção Polêmica
Editora Moderna

Autor: Denise Maria Elisabeth Formaggia, Luiz Roberto Magossi, Paulo Henrique Bonacella
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 15 anos
Trabalho interdisciplinar: Biologia, História
Indicação: 1º Ano (EM), 2º Ano (EM), 3º Ano (EM)
Área: Não Ficção
Assunto: Sustentabilidade e o papel da sociedade
Tema transversal: Saúde, Pluralidade Cultural, Ética, Meio Ambiente
ISBN: 9788516101305

Sinopse: Você sabia que para vivermos de modo sustentável (segundo os padrões de consumo da América do Norte e parte da Europa), a população do planeta não poderia ter ultrapassado 2 milhões de habitantes? Somos hoje 7,3 bilhões! Se mantivermos os números atuais de crescimento da economia e da população mundial, até 2030 necessitaremos de um segundo planeta Terra para viver… Por isso, nunca se falou tanto sobre sustentabilidade como nos dias atuais. O ser humano está começando a constatar que ele próprio coloca em risco sua sobrevivência no planeta. Neste livro, os autores convidam o leitor para um passeio pela linha do tempo da história da humanidade e explicitam o porquê de necessitarmos mudar, urgentemente, conceitos e hábitos de vida que até hoje não questionamos, ou simplesmente ignoramos.

AVENTURAS NA AMAZÔNIA: UMA BRILHANTE AVENTURA BIOLÓGICA!

Jornada Científica
Editora Moderna

Autor: Dan Green
Edição: 1ª Edição
Tradução: Daniela Almenara
Ilustração: David Shephard
Faixa etária: A partir de 13 anos
Trabalho interdisciplinar: Biologia, Ciências
Indicação: 8º Ano (EF2), 9º Ano (EF2)
Área: Não Ficção
Assunto: Desmatamento, Floresta amazônica, Meio ambiente
Tema transversal: Pluralidade Cultural, Ética, Meio Ambiente
Número de páginas: 48
ISBN: 9788516096717

Sinopse: Os livros da coleção Jornada Científica são feitos para estimular os jovens a desenvolver habilidades em Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Eles aprenderão como aplicar o conhecimento científico por meio de aventuras literárias. Em cada história, o leitor deve responder uma série de perguntas e quebra-cabeças científicos para progredir e chegar ao fim.
Em Aventuras na Amazônia, o leitor é convidado a desvendar os enigmas da floresta tropical para ajudar em uma missão de resgate na Amazônia. Esta brilhante aventura biológica nos traz curiosidades sobre os animais, as plantas, o desmatamento e os segredos escondidos da natureza tropical.

NATUREZA E SERES VIVOS

Coleção Desafios
Editora Moderna 

Autor: Samuel Murgel Branco
Edição: 3ª Edição
Ilustração: Gilmar e Fernandes
Faixa etária: A partir de 11 anos
Trabalho interdisciplinar: Ciências, Português
Indicação: 6º Ano (EF2), 7º Ano (EF2), 8º Ano (EF2), 9º Ano (EF2)
Área: Não Ficção
Assunto: Cadeia alimentar, desenvolvimento sustentável, equilíbrio da natureza, interdependência entre natureza e seres vivos
Tema transversal: Ética, Meio Ambiente
Número de páginas: 56
ISBN: 9788516089368

Sinopse: Você já ouviu falar em cadeias alimentares, seres decompositores e fotossíntese? Pois estes são alguns dos conceitos que você conhecerá neste livro. Ele mostra como cada elemento da cadeia alimentar é importante para o equilíbrio da natureza. Ao ler esta obra, você perceberá a importância dos seres humanos para a preservação do meio ambiente, à medida que eles se relacionam com os lugares onde vivem, estabelecem um modo de vida e utilizam os recursos naturais. Desenvolver a consciência para a preservação do meio ambiente é fundamental para não comprometer seu equilíbrio. Você também tem um papel importante nessa tarefa. Leia o livro e descubra como. Vamos lá?

58º Prêmio Jabuti: Moderna é finalista em 2 categorias

By | Geral | No Comments

A Câmara Brasileira do Livro (CBL) divulgou os livros finalistas do 58º Prêmio Jabuti na última sexta-feira. O maior prêmio de literatura do Brasil elege livros e autores de destaque em 27 categorias. A premiação final acontece no dia 24 de novembro, no Auditório Ibirapuera.

Nós da Editora Moderna estamos orgulhosos de ter 7 livros entre os finalistas nas categorias Juvenil e Didático e Paradidático. Parabenizamos nossa equipe editorial e os autores que dedicam sua sabedoria para escrever histórias e conteúdos que façam a diferença na vida das pessoas.

O destaque na categoria Didáticos e Paradidáticos mostra a nossa dedicação e respeito ao trabalho dos educadores, além da nossa preocupação em produzir conteúdos relevantes, oferecer recursos diferenciados e dar todo o suporte para que as aulas sejam sempre atualizadas e conectadas com as necessidades do professor e do mundo.

Já estamos na torcida por mais uma conquista =)

Conheça as obras finalistas

CATEGORIA DIDÁTICO E PARADIDÁTICO

CONVIVENDO EM GRUPO: ALMANAQUE DE SOBREVIVÊNCIA EM SOCIEDADE

Autora: Leusa Araújo
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 11 anos
Número de páginas: 80
Sinopse: Já somos mais de sete bilhões de seres humanos no planeta. Agora “globalizados”, ficou mais fácil encontrar pessoas e se relacionar com elas? Parece que não. Com toda a tecnologia disponível e os imensos progressos da ciência, conviver em sociedade e respeitar as diferenças individuais ainda parece ser um dos maiores desafios da humanidade. É das “dores e delícias” da convivência em grupo que fala a autora. Com muito humor e reflexões que mexem com nossas convicções, ela pergunta: “O que é que está faltando para se viver melhor em grupo?”. E nos oferece caminhos e questões que servirão para rever nosso modo de ser e agir, transformando o nosso entorno num lugar melhor para se viver. Está mais do que na hora de colocarmos em pauta “uma nova cidadania”, como propõe este livro. E podemos principiar com a regra básica e fundamental de convivência: colocar-se no lugar do outro.

KIESE: HISTÓRIA DE UM AFRICANO NO BRASIL

Autor: Ricardo Dreguer
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 9 anos
Número de páginas: 52
Sinopse: O livro narra a trajetória de Kiese, um menino que foi capturado ainda na infância em sua aldeia, na África, e trazido para o Brasil para ser escravizado. É também a história de muitos africanos que foram tirados de seu território, separados de seus familiares e amigos e trazidos para o Brasil ao longo do tempo que durou o regime escravista em nosso país. A história de Kiese é a história de um brasileiro que lutou para conquistar um lugar para ser feliz com sua família, seus amigos e sua gente. Sua história se confunde com a própria formação do Brasil.

PROJETO ARARIBÁ PLUS ARTE

Autores: Obra colaborativa da Editora Moderna
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 10 anos
Sinopse: O Araribá Plus Arte é um livro didático que conta com elementos de diferentes campos da expressão artística para que o aluno utilize a arte como linguagem individual e coletiva, desenvolvendo o respeito à diversidade, à produção dos colegas e à multiplicidade cultural do mundo.

SETE JANELINHAS: MEUS PRIMEIROS SETE QUADROS

Autoras: Carla Caruso e May Shuravel
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 8 anos
Número de páginas: 40
Sinopse: Em Sete janelinhas: meus primeiros sete quadros, o pequeno leitor se depara com pinturas de importantes artistas brasileiros, poemas, ilustrações e informações num diálogo rico e criativo entre linguagens. As janelinhas conduzem e brincam com o olhar de quem se aventura a descobrir a beleza dos sete quadros apresentados. Vamos espiar?

SOLTANDO O SOM

Autores: Carolina Michelini e Michele Iacocca
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 8 anos
Número de páginas: 48
Sinopse: Jana e Dudu estão brincando e começam a perceber quantos sons diferentes eles produzem. E quantos outros barulhos, ruídos, músicas os rodeiam! Não só na cidade, em meio a buzinas e sirenes, mas também no campo, na praia, nas montanhas, de dia, à noite… Sons da natureza, sons humanos, sons que despertam a alegria, ou o medo, a saudade, a vontade de dançar etc. Os dois amigos vão nos mostrar como o som está presente o tempo todo na nossa vida, como tudo na natureza “canta” ou “toca”. Fazendo experiências com assobios, extraindo sons do próprio corpo, experimentando timbres e alturas de voz, eles vão descobrindo e nos contando os mistérios da música. Ajudados pelo tio Mozartino, aprendem as diferenças entre os instrumentos musicais e passeiam pela História da Música, entendendo como a linguagem musical se modificou. O tio lhes fala dos compositores famosos, da diversidade de composições e conta-lhes lendas e casos pitorescos sobre a música no mundo. Jana e Dudu ficam tão apaixonados pelo que ouvem, que se entusiasmam e começam a compor suas próprias e divertidas canções!

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: UMA QUESTÃO DE CONSCIÊNCIA

Autores: Denise Maria Elisabeth Formaggia, Luiz Roberto Magossi, Paulo Henrique Bonacella
Edição: 1ª edição
Faixa etária: A partir de 15 anos
Número de páginas: 112
Sinopse: Você sabia que para vivermos de modo sustentável (segundo os padrões de consumo da América do Norte e parte da Europa), a população do planeta não poderia ter ultrapassado 2 milhões de habitantes? Somos hoje 7,3 bilhões! Se mantivermos os números atuais de crescimento da economia e da população mundial, até 2030 necessitaremos de um segundo planeta Terra para viver… Por isso nunca se falou tanto sobre sustentabilidade como nos dias atuais. O ser humano está começando a constatar que ele próprio coloca em risco sua sobrevivência no planeta. Neste livro, os autores convidam o leitor para um passeio pela linha do tempo da história da humanidade e explicitam o porquê de necessitarmos mudar, urgentemente, conceitos e hábitos de vida que até hoje não questionamos, ou simplesmente ignoramos.

CATEGORIA JUVENIL

CASTELO DE AREIA

Autor: Menalton Braff
Edição: 1ª Edição
Faixa etária: A partir de 13 anos
Número de páginas: 104
Sinopse: Neste livro, Menalton Braff encontra espaço para discutir com muita delicadeza e respeito a questão da homossexualidade na adolescência. Com personagens cativantes, marcadas principalmente pela sinceridade com que lidam com os sentimentos, a obra levanta reflexões extremamente contundentes acerca do respeito pelas diferenças.

Oscar Wilde e as polêmicas da vida vitoriana

By | Aulas/Explicações, Material Extra | No Comments

Oscar Wilde nasceu em 16 de outubro de 1854, em Dublin, em uma rica família de origem anglo-irlandesa. Além de uma vida pessoal polêmica, Wilde deixou um legado de frases e obras que incentivavam movimentos estéticos e abordavam assuntos bastante polêmicos para a sua época.

Vamos conhecer mais sobre esse grande nome da literatura?

Breve biografia

Por conta da boa condição financeira de sua família, Oscar Wilde sempre teve contato com a elite intelectual e com os grandes clássicos da literatura e com a alta sociedade irlandesa. Com grande interesse no movimento estético, muda-se para Londres em 1879 e dá início a sua longa jornada na literatura mundial.

Durante toda a sua vida, o escritor se envolveu em inúmeras polêmicas particulares, chegando a ser preso, em 1895, por atentado ao pudor. Wilde ficou doía anos na cadeia e perdeu grande parte de seu prestígio na sociedade londrina. Mas, apesar disso, não se pode colocar em voga o seu talento literário, marcado pela sagacidade e pela temática de suas obras.

Embora fosse casado e tivesse dois filhos, Wilde teve uma série de casos homossexuais. A última obra do escritor a ser publicada, De Profundis, é baseada em uma carta escrita para Alfred Douglas durante a temporada na prisão. O título se refere ao salmo 130 da Bíblia e quer dizer “Das Profundezas”. Nele, Wilde fala da sua vida, da humilhação durante o processo, do sofrimento na prisão e das crenças religiosas.

Após ser libertado, Wilde passou seus últimos três anos de vida na França, sob o pseudônimo de Sebastian Melmoth. Veio a falecer em 30 de novembro de 1900, após problemas de saúde relacionados à vida na cadeia.

Estilo literário

Apesar da carreira relativamente curta, Oscar Wilde se aventurou em diversos gêneros, como poesias, contos, peças, ensaios e romance. Sua primeira poesia foi publicada em 1881 e deu início a uma década de obras como O Príncipe feliz (conto de fadas), O leque de lady Windermere, peça que satirizava os hábitos e costumes londrinos e O retrato de Dorian Gray, seu único e mais famoso romance que abordava o homossexualismo.

Em suas obras, defendia a estética e o “belo”, como solução para a sociedade. Esse movimento estético defendido por Wilde pode ter dado início às primeiras ideias das vanguardas artísticas da Europa. Quando foi viver na França, o escritor dedicou-se mais à literatura e seu movimento estético acabou sendo abafado também pelas sua história de vida.

O Retrato de Dorian Gray

Sua obra-prima foi lançada em 1891. Em O Retrato de Dorian Gray, o foco é a decadência da sociedade londrina através da história de Dorian, um rapaz que se encanta com seu próprio retrato. O jovem passa a desenvolver o interesse pelos prazeres da vida mundana e começa a viver desregradamente, entregando-se ao hedonismo. Wilde estabeleceu um paralelo entre a arte e a juventude fugaz vivida plenamente.

Oscar Wilde foi considerado um dos maiores escritores da história da literatura e sua obra ganhou versões para o teatro e para o cinema:

 

Saiba mais

Confira mais sobre a vida e a obra de Oscar Wilde nos episódio da série “Histórias de Oscar Wilde

Lima Barreto: o Pré-Modernismo no Brasil

By | Aulas/Explicações, Dicas | 2 Comments

Afonso Henrique de Lima Barreto, ou simplesmente Lima Barreto, foi um dos grandes representantes da corrente literária do Pré-Modernismo. Nascido em 13 de maio de 1881, Lima Barreto era mestiço e, durante a sua vida, sofreu com o preconceito da classe literária carioca. Apesar da sua condição social, frequentou colégios e cursou Engenharia na Escola Politécnica. Ainda estudante, publicou seus primeiros textos em revistas e jornais da comunidade estudantil.

Órfão de mãe, Lima Barreto foi criado por seu pai, que sofria de alguns distúrbios mentais. Por conta do agravamento da doença, Lima Barreto abandona os estudos de Engenharia para cuidar do pai e começa a trabalhar na Secretaria de Guerra, ocupando um cargo bastante burocrático. Foi este emprego que deu inspiração para algumas de suas crônicas sobre o cotidiano na capital carioca. Esses textos começaram a ser publicados em revistas literárias da época como “Careta”, “Fon-Fon” e “O Malho”.

Lima Barreto lutou contra as injustiças sociais e os preconceitos raciais. Sua influência na imprensa foi crucial nessa jornada. Porém, por conta disso também, teve problemas sérios com alcoolismo, ficando internado duas vezes no Hospício Nacional, para tratamento do vício. Lá, descreveu suas experiências no livro Cemitério dos Vivos. Em seu funeral, em 01 de novembro de 1921, ignorado pelos intelectuais da época, foi homenageado com a presença dos pobres anônimos e suburbanos sobre quem escreveu. Deixou um legado de 17 volumes entre contos, ensaios, crônicas, memórias, correspondências e críticas literárias, que, por conta da sua morte prematura, foram publicadas postumamente.

Contexto histórico e literário

Lima Barreto nasceu em 1881, quando D.Pedro I ainda era o imperador de nosso país. O autor viveu todo o processo de transição para a República e foi conterrâneo de autores realistas, como Machado de Assis e Aluízio Azevedo. A proposta realista focava sua temática no modo de vida e na hipocrisia de uma burguesia emergente nos grandes centros cariocas. Por conta de sua condição social, Lima Barreto marcou seu nome na história por dar vida e voz aos personagens dos subúrbios cariocas. Através de seus romances, podemos observar claramente os mecanismos de relacionamento social típicos da sociedade brasileira no início do século XX, fortemente marcada pela distinção por raça e classe social.

Lima Barreto

Em seu primeiro romance, Recordações do Escrivão Isaías Caminha, publicado em 1909, conta a história de um mulato que sonha em se tornar jornalista na cidade grande. O jovem Isaías acreditava no seu valor e queria provar que podia vencer na vida pelos seus esforços, superando, sobretudo, o preconceito racial pela cor de sua pele. Após diversas dificuldades, ele consegue um emprego como escrivão de um jornal, mas só consegue promoções por ter descoberto seu chefe em uma noitada de orgias.

De caráter autobiográfico, o livro defende que o meio massacra as condições de um indivíduo crescer através de méritos próprios. Assim como Lima Barreto, que por toda sua vida lutou contra o preconceito, Isaías narrou suas memórias com a convicção de ter vencido em parte os problemas e as humilhações que o meio social preconceituoso lhe delegava, mas mais consciente de estar vivendo uma situação falsa ou de exceção.

Lima Barreto acreditava que a literatura devia ajudar a difundir as “grandes e altas emoções humanas” e a construir a comunhão entre as pessoas de todas as raças e classes. Leitor apaixonado, usou a voz de diferentes personagens para espalhar essa crença no poder dos livros.

Em seu primeiro romance, Recordações do Escrivão Isaías Caminha, publicado em 1909, conta a história de um mulato que sonha em se tornar jornalista na cidade grande. O jovem Isaías acreditava no seu valor e queria provar que podia vencer na vida pelos seus esforços, superando, sobretudo, o preconceito racial pela cor de sua pele. Após diversas dificuldades, ele consegue um emprego como escrivão de um jornal, mas só consegue promoções por ter descoberto seu chefe em uma noitada de orgias.

Triste Fim de Policarpo Quaresma

A obra-prima de Lima Barreto veio com Triste Fim de Policarpo Quaresma, publicado em 1915. A narrativa conta a história do major Policarpo Quaresma, um patriota exacerbado e fanático pelos assuntos que envolvem o Brasil, desde a fauna e a flora do país, até a cultura e o folclore do povo. O patriotismo desmedido é criticado por todos a sua volta, que o tarjam de louco.

Com Policarpo Quaresma, Lima Barreto consegue colocar em xeque o duelo entre o que é real e o que é ideal. Enquanto o patriotismo do major é ideal, a descrença dos que o cercam é real. Influenciado pelos livros que lê, Policarpo Quaresma traça um projeto para tornar o país uma grande potência mundial. Inicialmente, Quaresma mergulha no estudo das tradições brasileiras, aprendendo inclusive a língua tupi e os costumes dos nossos indígenas. Depois passa a se dedicar ao trabalho agrícola. Compra o Sítio Sossego e resolve pôr em prática as orientações científicas que encontrava nos livros. Mas as terras não se revelam tão férteis como diziam os livros, as pragas são terríveis e há muitas dificuldades na comercialização dos produtos.

Quaresma começa a perceber que o problema, na verdade, está na corrupção dos políticos, que não fazem leis que ajudem esse desenvolvimento. Dedica-se, então, a seu terceiro projeto: a reforma política. A oportunidade para isso surge por ocasião da Revolta da Armada. Quaresma vai ao Rio de Janeiro, engaja-se voluntariamente nas tropas do marechal Floriano Peixoto e luta pelos ideais republicanos. Vê em Floriano o reformador enérgico e patriota que sonhara e entrega-lhe um documento em que expõe seus planos de salvação do país. Mas o marechal responde-lhe secamente: “Você, Quaresma, é um visionário…”. Desilude-se mais uma vez. Compreende então que não há patriotismo, e que os governantes só estão preocupados com seus interesses pessoais.

Lima Barreto livro

Triste fim de Policarpo Quaresma

  • Coleção Travessias – Editora Moderna
  • Autor: Lima Barreto
  • Faixa etária: A partir de 15 anos
  • Indicação: 1º Ano (EM), 2º Ano (EM), 3º Ano (EM)
  • Assunto: Crítica social e política, EJA, Sátira, Violência
  • Tema transversal: Ética
  • Número de páginas: 168

A desilusão final de Quaresma faz referência à desilusão que Lima Barreto teve durante toda a sua vida. O autor morreu acreditando que o dever dos escritores era “deixar de lado todas as velhas regras, toda a disciplina exterior dos gêneros e aproveitar de cada um deles o que puder e procurar, conforme a inspiração própria para tentar reformar certas usanças”.

Saiba mais

O filme Policarpo Quaresma: Herói do Brasil (1988), do diretor Paulo Thiago, traz a hstória desse homem que acreditava com voracidade no potencial do nosso país. É excelente para trabalhar o filme e o contexto histórico com os alunos

Policarpo Quaresma, Herói do Brasil – Brasil (1988)

  • Duração: 120 min
  • Direção: Paulo Thiago
  • Sinopse: O major Policarpo Quaresma é um sonhador. Um visionário que ama o seu país e deseja vê-lo tão grandioso quanto, acredita, o Brasil pode ser. A sua luta se inicia no Congresso. Policarpo quer que o tupi-guarani seja adotado como idioma nacional. Ele tem o apoio de sua afilhada Olga por quem nutre um afeto especial e Ricardo Coração dos Outros trovador e compositor de modinhas que conta a história do nosso herói do Brasil.

A poesia objetiva de João Cabral de Melo Neto

By | Dicas, Material Extra | No Comments

Nascido em Recife, no dia 09 de janeiro de 1920, João Cabral de Melo Neto marcou seu nome na Literatura brasileira com poesias marcadas pela objetividade e pelo retrato da população nordestina do início do século XX. Durante sua trajetória valorizou a diplomacia e a literatura de cordel, cujas influências podem ser observadas em algumas de suas obras.

Primo de Manuel Bandeira e Gilberto Freyre, o poeta faz parte da chamada Geração de 45, movimento literário que criticava os “excessos do modernismo” e propunha uma poesia disciplinada e formal, que deixava de lado a subjetividade e exaltava o traalho árduo do autor.

Nunca escrevi um poema espontaneamente

João Cabral de Melo Neto

Quem mais influência exerceu sobre mim, teoricamente, foi o arquiteto Le Corbusier. Por muitos anos, ele significou para mim lucidez, claridade, construtivismo. Em resumo: o predomínio da inteligência sobre o instinto.

João Cabral de Melo Neto

Carlos Drummond de Andrade foi uma das maiores referências de João Cabral de Melo Neto. O pernambuco chegou a afirmar que Drummond o ensinou que “ser poeta não significava ser sonhador, que a ironia, a prosa cabiam dentro da poesia”. A poesia de João Cabral de Melo Neto também foi influenciada pelas obras de

artistas plásticos como o holandês Piet Mondrian, com suas telas abstratas geométricas, e o catalão Joan Miró, com suas pinturas abstratas surrealistas; além do encantamento provocado pela fragmentação e pelas colagens propostas por cubistas como o espanhol Pablo Picasso e o francês Georges Braque. As teorias arquitetônicas de Le Corbusier também tiveram influência na obra do poeta pernambucano. João Cabral costumava dizer que havia aprendido com esse arquiteto que a poesia “é uma construção, como uma casa”.

João Cabral é considerado pelos críticos “não apenas um dos maiores poetas sociais, mas um renovador consistente, instigante e original da dicção poética antes, durante e depois dele”. Ele e Graciliano Ramos possuem o mesmo grau ético e artístico, um na poesia, o outro na prosa, que objetiva com precisão uma prática poética comum: deram à paisagem nordestina, com suas diferenças sociais, uma das dimensões estéticas mais fortes, cruéis e indiscutíveis que já se conheceu.

João Cabral de Melo Neto na sala de aula

O livro Conexões com a Língua Portuguesa – Literatura traz a biografia literária do autor e todo o contexto histórico de João Cabral de Melo Neto na Literatura brasileira. Wilton Ormundo e Mara Scorfava prepararam um roteiro inovador para os alunos e propostas de atividades especiais para ampliar os conhecimentos. Confira um exemplo:

João Cabral de Melo Neto

Miguel de Cervantes e seu Dom Quixote

By | Aulas/Explicações, Dicas, Material Extra | No Comments

Boa tarde, pessoal,

Muitos de vocês devem ter ouvido o termo “quixotesco” para classificar pessoas que tendem a serem levadas pela imaginação, são muito românticas ou até mesmo um pouco desligadas da realidade. A verdade é que o termo faz referência a uma das maiores obras da Literatura mundial: Dom Quixote de La Mancha.

O autor Miguel de Cervantes Saavedra nasceu em 29 de setembro de 1547. Apesar de não se ter comprovação sobre a data, este é o dia divulgado como oficial de seu nascimento, em Valladoid, Espanha. Cervantes teve passagens pelo exército espanhol e chegou a lutar na batalha de Lepanto, contra o império turco. Alguns historiadores contam que nessa passagem, ele acabou sofrendo um sério ferimento no braço esquerdo que fez com que ele perdesse os movimentos da mão.

Em 1585, Cervantes casa com Catalina de Salazar, 22 anos mais nova que ele, e escreve seus primeiros poemas e novelas, como “La Galatea”. A grande curiosidade que envolve o autor é que por muitos anos, ele foi considerado um escritor ruim, não conseguindo sobreviver de suas obras e, por isso, trabalhou como cobrador de impostos e prestador de serviços para um cardeal italiano.

Dom Quixote de La Mancha

Foi aos 58 anos que Cervantes virou a mesa. Em 1805, o escritor publica a primeira parte do seu livro mais famoso: Dom Quixote de La Mancha. Com ele, Cervantes passaria a se dedicar somente a escrever e marcaria o seu nome para sempre na Literatura mundial. O livro conta a história um fidalgo (Dom Quixote) e seu fiel escudeiro (Sancho Pança) em busca de aventuras trovadorescas.

Aqui vale lembrar que Cervantes foi contemporâneo às ideais renascentistas na Europa. Essa transição de pensamento influenciaria muito a sua obra. Dom Quixote conta com humor as histórias dos antigos cavaleiros trovadores, apaixonados e que idealizavam a mulher amada, pelos olhos de um fidalgo considerado louco pelas pessoas a sua volta. Foi por conta da inocência sonhadora, romântica e da ausência de realidade que surgiu o adjetivo quixotesco para classificar pessoas avoadas.

O sucesso de Dom Quixote foi tão intenso que a obra Miguel de Cervantes transgrediu séculos. Hoje, a língua castelhana, por exemplo, muitas vezes é citada como a “língua de Cervantes”, mostrando a importância da narrativa. A obra foi tão bem aceita pela crítica da época, que no seu primeiro ano, teve seis edições e deu vazão a outras produções do autor: “Novelas Exemplares” (1613), o livro “Viagem ao Parnaso” (1614) e uma coletânea com as suas melhores peças de teatro, “Oito Comédias e Oito Intermédios” (1615). Por toda a sua contribuição, Cervantes é considerado o precursor do realismo na Espanha.

Dom Quixote em outras linguagens

Não foi só Cervantes que obteve sucesso com a figura caricata de Dom Quixote. Pablo Picasso e Salvador Dalí, conceituados pintores também ilustraram em suas obras o fidalgo quixotesco:

Peças de teatro:

Balé:

Filmes:

Don Quixote – Nunca desista

Saiba mais:

Para quem quiser saber mais sobre Dom Quixote, a Biblioteca Nacional de Portugal possui um acervo completo sobre a obra do autor e sobre outros artistas que estiveram relacionados a ele. Vale a pena conferir:

Complemente suas aulas

O autor Walcyr Carrasco publicou uma tradução adaptada de Dom Quixote pela Editora Moderna. A obra ajuda a complementar as aulas de Literatura para os alunos do Ensino Fundamental II.

Conheça mais:

Dom Quixote - Walcyr Carrasco

Franz Kafka: realismo da estranheza

By | Dicas | No Comments

Boa tarde, amigos modernos.

Franz Kafka é um dos mais importantes nomes da literatura mundial. Nascido em 03 de julho de 1883, em Praga, na Tchecoslováquia, o escritor era filho de judeus e cresceu cercado de elementos da cultira judaica, tcheca e alemã. De acordo com alguns estudiosos, o falecimento dos seus irmãos, ainda na infância, justificam características importantes de suas obras como a culpa, a descrença e a angústia.

Fonte: The Telegraph

Socialista e ateu desde a juventude, Franz Kafka se formou em Direito em 1906. Durante sua graduação em Direito, fez parte da chamada Escola de Praga, movimento que incentivava a criação artística baseada no realismo, com inclinação metafísica, passagens marcadas pela lucidez racional e pela ironia.

Morreu em 03 de junho de 1924, em um sanatório na cidade de Kierling, na Áustria, em decorrência da tuberculose. Sua fama viria apenas depois da morte. Durante a vida, publicou apenas alguns textos, mas deixou instruções ao amigo e testamenteiro literário, Max Brod, para que os originais inéditos fossem queimados na ocasião de sua morte.

Obviamente, seu pedido não foi respeitado pelo amigo.

Estilo literário

A habilidade de tornar fatos impossíveis em realidades plausíveis é uma característica essencial do legado kafkiano. Acordar transformado em um inseto gigante ou ser preso sem nenhum motivo aparente ganham sentido em A Metamorfose (1915) e em O Processo (1925) pela capacidade de fazer o leitor entender e se relacionar com a angústia do narrador-personagem.

O impossível ganha vida com uma linguagem de descrição concisa e pela lucidez em situações incompreensíveis. Além disso, Kafka faz duras críticas aos governos burocratas que reprimem o povo com o poder e analisam a condição do ser humano dentro do sistema. Por esse motivo, é comum ouvir que as obras de Kafka são atemporais.

Para ler e, principalmente entender, os clássicos kafkianos, é necessária uma boa dose de atenção à construção da obra. Normalmente, o olhar de Kafka é direcionado à opressão das instituições, à justiça, à dor e à fragilidade do homem perante problemas do dia a dia.

Para os amantes da literatura, as obras de Kafka oferecem momentos de estranheza e de angústia com histórias envolventes. Se você gosta de finais felizes, os livros de Franz Kafka não são os mais indicados para a sua estante.

As obras de Franz Kafka também receberam adaptações para outros formatos. O famoso diretor Orson Welles produziu a versão cinematográfica em 1962. Confira: