editora moderna Archives - Página 34 de 42 - Editora Moderna

Planejar 2012 – Manaus/AM

Por | Eventos, Planejar 2012 | Sem comentários

O município de Manaus abrigou o Planejar 2012 no último dia 29 de fevereiro no Auditório CDL Manaus. Na capital amazonense, o evento contou com a presença de 20 educadores de todos os níveis de ensino. Na oportunidade, os participantes conferiram dicas e técnicas para planejamento de aulas com os livros didáticos da Editora Moderna. Além disso, o momento foi enriquecido pela contribuição de todos com ideias, dicas e sugestões para a construção de uma educação de valor.

A Editora Moderna agradece a todos os participantes pela contribuição ao momento:

Planejar 2012 – Aracaju/SE

Por | Eventos, Planejar 2012 | Sem comentários

No último dia 29 de fevereiro, a equipe pedagógica da Editora Moderna em Aracaju (SE) realizou mais um evento do ciclo Planejar 2012, no Hotel Quality. O encontro foi prestigiado por 50 professores do Fundamental 2 e do Ensino Médio das principais escolas de Aracaju e teve como tema central “Planejamento Interativo: a prática e a novas mídias”.

Os docentes assistiram à palestra da Mestra Professora Helena Bonaparte que explicou a importância de os professores acompanharem as transformações contemporâneas pelas quais os alunos estão passando e que refletem no ambiente escolar. Os professores puderam entender um pouco mais sobre as como as mídias sociais têm interferido na Educação e sobre técnicas de planejamento para este ano letivo.

A equipe apresentou os recursos didáticos fornecidos pela Editora Moderna, mostrando principalmente os conceitos de Aprendizagem Significativa  e a fundamentação dos nossos livros didáticos em estar “conectados” aos anseios de pais e alunos. Na oportunidade, os 50 presentes também receberam exemplares da Revista Educatrix, Correio da Unesco e Scientific American, além de conhecerem mais sobre algumas de nossas coleções.

A Editora Moderna agradece a presença de todos os docentes e a contribuição para o sucesso do evento:

 

A Física e os Experimentos mentais

Por | Dicas | Um comentário

A história do desenvolvimento científico está diretamente relacionada ao uso de experimentos. Muitas das teorias físicas demoraram muito tempo para serem confirmadas na prática. Para resolver este impasse, muitos filósofos e físicos antigos (e os contemporâneos também) utilizavam a imaginação e a observação como formas de teorizar as situações que estavam pesquisando. Assim, os chamados experimentos mentais são recursos que utilizam a capacidade humana de analisar e abstrair informações específicas para a conclusão de um assunto sem comprovação pática possível.

Quando começou?

De acordo com historiadores e estudiosos da área, os primeiros experimentos mentais aconteceram na Grécia Antiga. A prática segue a pensamento grego, que valoriza o pensamento e raciocínio lógico em detrimento a comprovação experimental. Desta forma, nas escolas gregas, os alunos eram incentivados a pensar no processo e não na experiência comprobatória.

A justificativa para tal teoria pode ser encontrada na própria estrutura da sociedade grega em que o trabalho era vista como impróprio aos homens livres. Assim, somente o que era atingido pela lógica tinha valor como conhecimento.

 

Que tal alguns exemplos?

O balde d’água de Isaac Newton

Muitas das teorias que revolucionaram a história da humanidade foram fundamentadas em experimentos mentais. A teoria de Isaac Newton sobre o espaço absoluto pode ser utilizada como exemplo.

Para comprovar a existência do espaço absoluto, Newton imaginou um balde cheio d’água pendurado por uma corda retorcida. Segundo o físico inglês, quando se soltasse a corda, o espaço absoluto interferiria no movimento da água de forma a manter o equilíbrio entre espaço absoluto, balde e água. Assim, enquanto o sistema estivesse em movimento, a água assumiria formato côncavo.

Ao mesmo tempo, conforme aumenta a velocidade do movimento, a água vai subindo, até alcançar a mesma velocidade do balde. Nesse momento teremos a água em repouso em relação ao compartimento. Dessa forma, Newton pode concluir que existem dois tipo de movimentos associados à água. O movimento relativo, referente ao balde – máximo no início e nulo no fim – e o movimento circular ou absoluto da água, que comprova a tendência que a agia tem de se afastar do eixo de rotação.

Atualmente, a explicação aceita diz respeito à influência das forças não inerciais que surgem quando estamos usando referenciais acelerados. No caso do balde, o referencial é a aceleração centrípeta.

Einstein e o paradoxo dos gêmeos

Albert Einstein é reconhecido no mundo inteiro por suas contribuições aos estudos da humanidade. Mas, além disso, como grande cientista, Einstein apresentava uma grande capacidade de observação e de imaginação. Talvez, dessa forma, tenha conseguido chegar a tantas teorias sobre assuntos considerados abstratos como o tempo, as dimensões e os espaços.

Ao mesmo tempo em que suas contribuições à comunidade científica são inúmeras, suas teorias são bastante difíceis de serem comprovadas. Uma delas em especial, conhecida como “Paradoxo dos Gêmeos”, foi demonstrada por Einstein através de um experimento mental.

Na teoria, Einstein propôs que dois gêmeos recém-nascidos fossem separados. Um deles seria colocado em uma nave espacial, capaz de assumir velocidades semelhantes à velocidade da luz, enquanto o outro permaneceria na Terra e estaria sob influência das velocidades comuns a todos nós.

Ao se unirem de novo depois de um determinado tempo, o irmão que permaneceu na nave e viajou pelo espaço voltaria a Terra mais jovem que o irmão que se manteve em Terra. Isso porque, segundo a teoria da relatividade, existe uma contração do tempo quando se viaja em velocidades próximas à da luz. Porém a simetria dos eventos não é garantida, ou seja, o mesmo tempo que passa para os gêmeos é o mesmo. O que existe é apenas a sensação de que o tempo corre diferente, pois cada um deles está em um referencial diferente.

Com ajuda desses exemplos, é possível entender que o uso de descrições puramente mentais para problemas reais é fundamental para o entendimento de teorias mais complexas que exigem pensamento mais refinado, ou para teorias que são contra a visão clássica da natureza, como a Física Moderna.

 

Escrito por Danilo Prado, assessor especialista de Física da Editora Moderna

Saiba mais

Para quem quiser saber mais sobre os experimentos mentais e a forma como a Física enxerga esse tipo de experiência, vale a pena conferir um trecho do seriado The Big Bang Theory, em que o personagem Sheldon Cooper explica como foi realizado o experimento de Schrödinger:

Dia Nacional do Livro Didático

Por | Dicas | Sem comentários

Bom dia, amigos modernos!

No dia 27 de fevereiro, comemora-se o Dia do Livro Didático no Brasil.

Essa é uma data para nos recordarmos a importância dos materiais utilizados no dia a dia das escolas do nosso país. Apesar da evolução tecnológica e do surgimento dos tablets, os livros ainda são a maior fonte de conhecimento dos nossos alunos e professores.

Que tal relembrarmos a sua importância?

Planejar 2012 – Brasília / DF

Por | Eventos, Planejar 2012 | Sem comentários

A equipe pedagógica da Editora Moderna em Brasília realizou o Planejar 2012 no último dia 07 de fevereiro. O evento contou com a participação de professores do Colégio Castro Alves, Colégio Crescer, Colégio La Salle, Edusesc Ceilândia e Sesi Taguatinga. Na ocasião, as assessoras pedagógicas da Moderna apresentaram algumas técnicas de planejamento letivo e abriam espaço para a troca de experiências e sugestões de trabalhos em sala de aula.

Os docentes presentes prestaram uma valiosa contribuição ao Planejar 2012 no município com novas ideias para a construção de uma educação de valor. A Editora Moderna  agradece a presença de todos e se coloca à disposição para qualquer esclarecimento.

 

Planejar 2012 – Vitória/ES

Por | Eventos, Planejar 2012 | Sem comentários

O Planejar 2012 chegou ao estado do Espírito Santo no último dia 14 de fevereiro. Realizado em Vitória, o encontro teve a presença de educadores da região e contou com oficinas e debates sobre as melhores técnicas de planejamento educacional. Na oportunidade, os adotantes dos livros didáticos da Editora Moderna puderam esclarecer dúvidas e compartilhar experiências dentro de sala de aula para valorizar o uso do material didático neste ano letivo.

A equipe pedagógica da Editora Moderna também apresentou alguns recursos adicionais que os professores podem utilizar durante as explicações e como material complementar aos alunos. Nós agradecemos a presença e valiosa contribuição de todos os docentes:

 

137 anos de O crime do Padre Amaro

Por | Dicas, Moderna Plus | Sem comentários

Boa tarde, galera!

Hoje vamos homenagear uma das mais expressivas obras do Realismo português. O Crime do Padre Amaro foi escrito pelo escritor português Eça de Queiroz (1845-1900) e lançado em 15 de fevereiro de 1875, há exatos 137 anos. O livro o primeiro publicado pelo escrito e conta a história de Amaro Vieira, um rapaz lisboeta, filho de um casal que trabalhara para o marquês de Alegros. O rapaz fica órfão ainda pequeno e é cuidado por uma marquesa que um encaminha para a vida eclesiástica. A vida rica dada pela marquesa tornou o pequeno Amaro, um jovem fraco física e psicologicamente, o que faz com que aceite a condição que lhe foi imposta. Porém, tudo muda quando ele vai para Leiria, uma cidade no interior, e começa a se envolver com a jovem Amélia, bastante cobiçada pelos homens da região.   O cinismo e a imoralidade dos colegas (cônego Dias, padre Natário, padre Brito), que vivem a explorar a ingenuidade e a mente supersticiosa dos fiéis, amortecem a consciência de Amaro, que acaba como eles, não hesitando em satisfazer seus desejos pessoais à custa daqueles a quem deveria servir de guia espiritual e moral.

O crime do padre Amaro – 2ª edição

Coleção Travessias

Autor: Eça de Queiros

Faixa etária: A partir de 15 anos

Indicação: 1º Ano (EM), 2º Ano (EM), 3º Ano (EM)

Assunto: Amor, Crítica social, EJA, Hipocrisia, Religião

Tema transversal: Ética

Número de páginas: 320

Quem foi Eça de Queiroz? 

Ícone da Literatura portuguesa, Eça de Queiros nasceu em 25 de novembro de 1845, em Póvoa de Varzim, Portugal. Tornou-se um dos maiores precursores do Realismo em Portugal e seus romances ficaram mundialmente conhecidos.  Foi na segunda metade do século XIX que José Maria Eça de Queiros surgiu no contexto literário português. Discípulo do francês Gustave Flaubert, Eça de Queiros marcou seu nome na história da Literatura mundial com seus romances de temas cotidianos, linguagem irônica, direta e com senso de humor inteligente. Ficou conhecido também pela descrição de locais e análise de comportamento e caráter, repleto de pessimismo, que também marcaram a obra de Machado de Assis, outro autor bastante conhecido por nós.

Eça de Queiros foi amigo de Antero de Quental, a quem é atribuído o início do movimento realista. Os dois se conheceram na Universidade de Coimbra e fizeram uma série de trabalhos juntos, inclusive alguns artigos para jornais e revistas. Apesar de não ter participado diretamente da “Questão Coimbra”, em 1865, que envolveu Antero de Quental e Teófilo Braga contra a crítica de Visconde de Castilho, da escola romântica, Eça de Queiros também participou da “Escola de Coimbra”, que ‘fundou’ o realismo.

Depois da faculdade, continuou seus trabalhos no jornalismo e trabalhou por muito tempo no Oriente. Em 1871, participou das “Conferências Democráticas do Cassino Lisbonense” – nova etapa da campanha que implantou em Portugal as novas perspectivas culturais do Realismo falando sobre o “Realismo como nova expressão da arte”.

Os literatos apontam Eça de Queiros como o maior ícone da prosa realista em Portugal. Em suas obras, estabeleceu acima de tudo uma visão crítica da realidade e afastou-se do estilo clássico, escrevendo de maneira mais simples, através de frases mais curtas, impactantes e com diferentes combinações de palavras menos rebuscadas. Introduziu os neologismos na literatura e fundamentou a prosa moderna da Língua Portuguesa.

Faleceu em 16 de agosto de 1900.

No livro de Literatura da coleção Moderna Plus, as autoras Maria Luiza Abaurre e Marcela Pontara, utilizam um material complementar para explicar o contexto histórico do Realismo em Portugal. Veja material, inserido na Parte II, Unidade 5, Capítulo 19, página 398:


Saiba mais

O Crime do Padre Amaro

Título original: (El Crimen del Padre Amaro)

Lançamento: 2002 (México)

Direção: Carlos Carrera

Atores: Gael García Berna, l, Ana Claudia Talancón, Sancho Gracia

Duração: 118 min

Gênero: Drama

Sinopse: O jovem padre Amaro (Gael García Bernal) acaba de ser ordenado e em breve irá para Roma continuar seus estudos, graças à boa relação que mantém com o bispo. Antes, contudo, deve trabalhar em uma paróquia. Ele é enviado para Los Reyes para atuar sob as ordens do padre Benito (Sancho Gracia), o vigário que aparentemente vive uma existência corrupta e contraditória. Lá Amaro conhece a linda e devota Amelia (Ana Claudia Talancón), filha de Sanjuanera (Angélica Aragón), dona do restaurante mais importante da cidade e amante do padre Benito. Diante do mundo real, Amaro é confrontado com a hipocrisia da Igreja, que condena as guerrilhas mas convive com chefes do tráfico de drogas.

Planejar 2012 – Porto Alegre / RS

Por | Eventos, Planejar 2012 | Sem comentários

No dia 09de fevereiro, quinta-feira, a equipe pedagógica da Editora Moderna realizou o PLANEJAR 2012, em Porto Alegre (RS). O evento tinha como principal objetivo reunir educadores da Equipe Gestora das Escolas Particulares do Rio Grande do Sul para discutir questões importantíssimas sobre Planejamento Interativo: a práticas e as novas mídias.

A Editora Moderna agradece a contribuição de todos os participantes e profissionais que contribuíram com o sucesso do evento e que sabem a importância dos seus papeis para o reconhecimento de suas escolas na comunidade em que estão inseridas. Assim, fica aqui o nosso muito obrigada a todos os profissionais das equipes gestoras das escolas particulares de Porto Alegre, Grande Porto Alegre e Interior do RS que fizeram o grande diferencial do nosso evento e nos colocamos, cada vez mais, a disposição destas equipes para juntamente com os seus professores fazermos a diferença em sala de aula.