editora moderna Archives - Editora Moderna

Seminário Aprova Brasil em João Pessoa (PB) apresenta palestra de Cipriano Luckesi

Por | Eventos, Seminário Aprova Brasil, Seminário Aprova Brasil 2015 | Sem comentários

O Seminário Aprova Brasil em João Pessoa (PB) aconteceu no último dia 19 de maio e reuniu mais de 400 educadores do estado da Paraíba. Os presentes acompanharam a apresentação de projetos realizados por Secretarias Municipais da Educação e participaram da palestra de Cipriano Luckesi sobre as Avaliações Nacionais de aprendizagem.

Clique na imagem abaixo e confira todas as fotos do evento

Seminário Aprova Brasil João Pessoa (PB)

Sobre o Seminário Aprova Brasil

Com organização da Fundação Santillana e da Editora Moderna, o evento tem como objetivo apresentar um panorama das avaliações nacionais da alfabetização em três realidades: nas escolas, nos estados e no Brasil. A partir do encontro, gestores do município, diretores, coordenadores e professores de escolas dos anos iniciais do Ensino Fundamental podem aprimorar estratégias baseadas na análise e interpretação dos resultados da avaliação e conquistar grandes resultados na aprendizagem dos alunos.

Amplie conhecimentos

Para complementar as discussões apresentadas durante os encontros do Seminário Aprova Brasil, a Editora Moderna oferece uma série de obras produzidas por grandes especialistas para download gratuito. Clique aqui e acesse o nosso site e confira o acervo completo de obras.

Sugestão

O livro 5 Atitudes pela Educação apresenta o conceito das 5 atitudes para a melhoria da educação. Destinado a coordenadores pedagógicos, a obra apresenta estratégias para fomentar iniciativas que envolvam a formação continuada dos professores; o aprendizado dos alunos; e o envolvimento da comunidade escolar para valorizar o protagonismo juvenil.

Seminário Aprova Brasil em São Luís supera expectativas

Por | Eventos, Seminário Aprova Brasil 2015 | Sem comentários

Mais de 400 educadores acompanharam o Seminário Aprova Brasil em São Luís (MA), que aconteceu no dia 14 de maio. Além de contar com a participação de quatro Secretários Municipais da Educação do Maranhão, o evento contou com a palestra de Cipriano Luckesi, uma das maiores referências da avaliação educacional no Brasil.

Clique na imagem abaixo e confira todas as fotos do evento

DSCN5999

Sobre o Seminário Aprova Brasil

Com organização da Fundação Santillana e da Editora Moderna, o evento tem como objetivo apresentar um panorama das avaliações nacionais da alfabetização em três realidades: nas escolas, nos estados e no Brasil. A partir do encontro, gestores do município, diretores, coordenadores e professores de escolas dos anos iniciais do Ensino Fundamental podem aprimorar estratégias baseadas na análise e interpretação dos resultados da avaliação e conquistar grandes resultados na aprendizagem dos alunos.

Amplie conhecimentos

Para complementar as discussões apresentadas durante os encontros do Seminário Aprova Brasil, a Editora Moderna oferece uma série de obras produzidas por grandes especialistas para download gratuito. Clique aqui e acesse o nosso site e confira o acervo completo de obras.

Sugestão

O livro Educação.doc reúne as histórias retratadas na série de documentários “Educação.doc” sobre escolas públicas de qualidade, produzida pelos cineastas Luiz Bolognesi e Laís Bodanzky. Acompanha o DVD com a íntegra dos episódios da série exibidos na GloboNews. Organizado em seis capítulos, sintetiza depoimentos de professores, alunos, pais, diretores e funcionários que conseguiram transformar a realidade escolar em busca de um ensino de excelência, com o envolvimento de toda comunidade.

Seminário Aprova Brasil: ciclo tem início de sucesso em Goiânia (GO)

Por | Seminário Aprova Brasil 2015 | Sem comentários

Mais de 450 educadores acompanharam o primeiro encontro do Seminário Aprova Brasil, que aconteceu em Goiânia (GO), no dia 04 de maio. Os presentes assistiram a palestras de renomados especialistas da educação entre eles Cipriano Luckesi, uma das maiores referências do tema no Brasil.

Clique na imagem abaixo e confira todas as fotos do evento

Seminário Aprova Brasil 2015 - Goiânia / GO

Sobre o Seminário Aprova Brasil

Com organização da Fundação Santillana e da Editora Moderna, o evento tem como objetivo apresentar um panorama das avaliações nacionais da alfabetização em três realidades: nas escolas, nos estados e no Brasil. A partir do encontro, gestores do município, diretores, coordenadores e professores de escolas dos anos iniciais do Ensino Fundamental podem aprimorar estratégias baseadas na análise e interpretação dos resultados da avaliação e conquistar grandes resultados na aprendizagem dos alunos.

Amplie conhecimentos

Para complementar as discussões apresentadas durante os encontros do Seminário Aprova Brasil, a Editora Moderna oferece uma série de obras produzidas por grandes especialistas para download gratuito. Clique aqui e acesse o nosso site e confira o acervo completo de obras.

Sugestão

O livro 5 Atitudes pela Educação apresenta o conceito das 5 atitudes para a melhoria da educação. Destinado a coordenadores pedagógicos, a obra apresenta estratégias para fomentar iniciativas que envolvam a formação continuada dos professores; o aprendizado dos alunos; e o envolvimento da comunidade escolar para valorizar o protagonismo juvenil.

Quem é o educador financeiro da escola?

Por | Educação Financeira | 5 Comentários

Quando uma escola decide trabalhar com educação financeira, em geral ela se depara com um dilema: quem deve ser o professor mais indicado para assumir o papel de educador financeiro?

A resposta mais óbvia, apoiada por uma visão simplificada do tema, seria associar a educação financeira à disciplina de Matemática. Afinal, para contabilizar e controlar entradas e saídas de dinheiro, é necessário que os alunos tenham conhecimentos básicos desta matéria. Entretanto, como vimos no último post, educação financeira vai muito além de falar sobre dinheiro, números e planilhas, pois se fosse apenas isso, não haveria um só estatístico, economista, bancário ou professor de matemática endividado, não é mesmo?

Mas, se não é o professor de matemática, então quem é?

Antes de responder a esta pergunta, vale refletir sobre os temas que se pretende abordar. Com base nos estudos de Psicologia Econômica, entendemos que a relação das pessoas com o dinheiro deriva da forma com elas lidam no seu cotidiano com as seguintes questões:

Andy de Santis é autora do livro Lições de Valor e parceira do blog para o tema Educação Financeira

  • Valores – individuais, familiares, sociais
  • Escolhas – coerentes ou não com seus valores
  • Impactos – das escolhas na vida, na sociedade e no ambiente</p>
  • Limites – na relação com seus impulsos, desejos e necessidades
  • Prioridades – que impõem escolhas e tomada de decisão
  • Sonhos – projetos de vida
  • Tempo – visões de curto, médio e longo prazo
  • Disciplina – para concretizar os planos, passo a passo
  • Riscos – relacionados às escolhas
  • Ganhos e perdas – como parte das consequências de cada decisão tomada

Ou seja, trabalhar com as decisões econômicas dos estudantes é um desafio amplo e interdisciplinar que oferece ótimas oportunidades para promover uma articulação entre as diferentes disciplinas.

As Ciências e a Geografia, por exemplo, podem contribuir com a educação financeira na medida que promovem o estudo da natureza, das relações ecossistêmicas e sua importância para o homem, os fenômenos naturais e as questões socioambientais, temas que ampliam a consciência dos estudantes sobre os impactos de suas escolhas de consumo para a sociedade e o planeta.

Já a História traz o reconhecimento das relações sociais, da cultura e do trabalho, o que amplia a visão do jovem sobre seu papel protagonista no mundo, na construção de uma atitude empreendedora, na identificação de suas fontes de realização e geração de renda no futuro.

A Filosofia e a Sociologia, com seus questionamentos podem trazer profundas contribuições às reflexões sobre valores, sonhos, tempo, limites, prioridades, o significado do dinheiro na sociedade e outros aspectos que desenvolvem jovens mais preparados para lidar com seus recursos em harmonia com o mundo ao seu redor.

As Artes e as Línguas podem estimular que os jovens expressem seus dilemas, angústias, reflexões e aprendizados sobre a relação com seu consumo e o dinheiro de formas criativas e impactantes.

Em resumo, todos os professores podem se apropriar dos desafios que a educação financeira traz para o cotidiano dos alunos e todas as disciplinas podem contribuir com estes desafios. A escola pode até escolher um único professor ou disciplina para trabalhar este tema, mas talvez perca a riqueza de ter várias perspectivas diferentes reunidas sob um mesmo problema.

Lições de Valor: Educação Financeira escolar

O livro “Lições de Valor – Educação financeira escolar”, lançado pela Editora Moderna para alunos do Ensino Fundamental II foi concebido como uma ferramenta transversal e integradora, que pode ser aproveitada por diferentes professores e disciplinas. Que tal reunir os professores de sua escola para folhear as 12 unidades da obra com as seguintes perguntas em mente:

  •  Que conexões eu enxergo entre as unidades do livro e a minha disciplina?
  •  Qual(is) unidade(s) oferece(m) mais insumos para eu trabalhar a minha disciplina?
  •  Como a educação financeira pode contribuir para minha disciplina?
  •  Como a minha disciplina pode contribuir com a educação financeira dos meus alunos?

Talvez este exercício revele que a superação de grandes desafios educacionais depende não de um único educador, mas da união de todos, com seus diferentes olhares em torno de um objetivo comum.

Eu sou Andyara de Santis Outeiro, autora do livro e estou aqui para dialogar com você sobre os conteúdos da obra e trazer dicas sobre educação financeira para aplicar na escola e na vida. Aproveite o espaço, traga seus dilemas, dúvidas e experiências. Vamos aprender juntos?

Projeto Presente: autores debatem a educação híbrida

Por | Eventos | Sem comentários

No último dia 11 de abril, a Editora Moderna realizou mais um encontro especial entre professores de escolas particulares do estado de São Paulo e os autores do Projeto Presente. Cerca de 250 educadores de instituições de ensino da capital e do interior de São Paulo participaram do evento e trocaram experiências de vivência na sala de aula.

Durante o encontro, os educadores compartilharam ideias e metodologias sobre a escola híbrida e acompanharam a palestra Diferentes formas de ensinar e aprender: a educação híbrida em foco, ministrada por Lilian Bacich, autora do livro de Ciências. Na segunda parte do evento, os professores conversaram diretamente com os autores da coleção sobre como colocar em prática estratégias para o uso das tencologias digitais, sempre levando em conta o uso fo livo didatico como norteador do conhecimento.

Clique na foto abaixo e confira tudo o que rolou no evento:

Projeto Presente - São Paulo 2015

Educação financeira vai muito além do dinheiro

Por | Dicas, Educação Financeira, Novidades | 2 Comentários

No post da semana passada, conversamos sobre a origem e o significado de educação financeira de acordo com o contexto brasileiro. Hoje, vou aprofundar essa conversa para revelar um pouco mais do potencial deste tema em sala de aula.os.

Imagine um iceberg, aquele imenso bloco de gelo que flutua em oceanos onde as temperaturas são muito baixas. Quando alguém vê um iceberg olhando da superfície, enxerga apenas uma pequena parte dele. A parte maior está submersa e pode chegar a centenas de metros de profundidade. Bem, mas o que isso tem a ver com educação financeira? Tudo!

Quando olhamos para nossas entradas e saídas de dinheiro, nossas planilhas e contas, é como se estivéssemos vendo apenas a ponta do iceberg, ou seja, a parte visível aos nossos olhos. Muitos autores e livros de educação financeira cuidam apenas desta parte. Analisam as contas, os números e trazem dicas para equilibrar os dois lados da equação (entradas – saídas = 0) ou para torná-la positiva (entradas – saídas > 0).

Esta forma de olhar educação financeira tem seu valor, mas a meu ver é um pouco superficial. Se fosse tão simples, bastaria entender de matemática e números para ser uma pessoa financeiramente saudável, certo? Não haveria um só estatístico, economista, bancário ou professor de matemática endividado… e sabemos que eles existem.

Andy de Santis é autora do livro Lições de Valor e parceira do blog para o tema Educação Financeira

Para entender nosso comportamento financeiro, precisamos aprofundar um pouco mais a visão e reconhecer que o dinheiro é uma forma concreta de representar nossas escolhas e preferências. Todos os dias fazemos escolhas, algumas mais simples, outras mais complexas. Decidimos o que comer, o que vestir, onde morar, com quem viver, onde estudar ou trabalhar. Todas essas escolhas deixam um rastro: nosso extrato bancário. Sim, porque o dinheiro vem geralmente do trabalho que escolhemos, passa pelas nossas mãos (ou contas bancárias) e segue seu destino para pagar pelas experiências que escolhemos para dar significado às nossas vidas. Olhar para o dinheiro então é uma forma de revelar essas escolhas.

E como fazemos nossas escolhas? Algumas são profundamente pensadas, ponderadas e avaliadas com base no que precisamos, valorizamos e planejamos, ou seja nossas necessidades, valores e sonhos. Outras seguem desejos, impulsos e podem servir a valores alheios, da propaganda ou da sociedade. Será que nossas escolhas revelam que somos mais impulsivos ou planejados? Estamos escolhendo a partir de nossos valores ou dos outros? Olhe agora para sua planilha financeira e você verá muito mais do que apenas números e contas.

Lições de Valor: Educação Financeira escolar

Se você pretende trabalhar com educação financeira em sala de aula, lembre-se de que o tema vai muito além do dinheiro. No livro “Lições de Valor – Educação financeira escolar”, lançado pela Editora Moderna para alunos do Ensino Fundamental II, abordamos as escolhas, os valores, os sonhos, as influências da mídia e muitas outras questões que envolvem a relação dos jovens e suas famílias com o dinheiro, o trabalho e o consumo. Temas profundos, mas abordados de uma forma leve e lúdica.

Eu sou Andyara de Santis Outeiro, autora do livro e estou aqui para dialogar com você sobre os conteúdos da obra e trazer dicas sobre educação financeira para aplicar na escola e na vida. Aproveite o espaço, traga seus dilemas, dúvidas e experiências. Vamos aprender juntos?

Você já pensou em publicar seu artigo sobre EJA?

Por | Dicas, Geral, Novidades | 6 Comentários

A revista Educatrix está em busca de produções, estudos e pesquisas realizados por profissionais da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Esta é uma oportunidade para publicar seu artigo acadêmico ou experiência profissional em uma revista especial, de circulação nacional e distribuição gratuita em milhares de instituições educacionais públicas.

O escolhido estará na mesma edição com artigo de capa escrito por Moacir Gadotti, uma das maiores referências na EJA!

Envie seu artigo

Quem pode participar?

Profissionais que estejam em atividade na área de Educação de Jovens e Adultos: educadores em geral e pesquisadores.

Qual o tamanho do artigo?

Os artigos devem ter entre 14 e 20 mil caracteres (com espaço) e devem ser enviados em formato Word. Se o texto for acompanhado de imagens, elas precisarão ter cessão de uso.

Quais são os critérios para seleção?

Abrimos nossas páginas para compartilhar projetos educacionais, casos de gestão, pesquisas e artigos acadêmicos que reflitam sobre o panorama atual, propondo estratégias para modificar o dia a dia da EJA, relatando experiências regionais bem-sucedidas.

Qual o prazo de envio?

Os textos devem ser enviados para a análise da equipe editorial pelo e-mail educatrix@moderna.com.br até 01 de maio de 2015.

Orientações gerais

A equipe editorial selecionará 1(um) artigo dentre os enviados. Por ser uma revista de distribuição gratuita, a participação na revista não será remunerada. O participante receberá 10 edições impressas da publicação e terá seu artigo compartilhado em âmbito nacional.

Venha fazer parte deste movimento pela melhoria da educação no Brasil!

Afinal, o que é Educação Financeira?

Por | Educação Financeira | 4 Comentários

No último post, citamos 5 razões para a escola adotar a educação financeira como tema a ser trabalhado em sala de aula. Esperamos que os argumentos tenham lhe ajudado a refletir ou, quem sabe até, convencido você a inserir o assunto em sua prática pedagógica ou na escola de seus filhos.

No entanto, para garantir que a inserção deste tema seja adequada, é fundamental entender a sua origem e significado. Afinal, dinheiro é um assunto relevante e delicado que merece muito cuidado ao ser tratado em sala de aula.

Não faz muito tempo que o tema Educação Financeira começou a ser discutido no Brasil. Antes de 1994, convivíamos com altos índices de inflação e pacotes governamentais que tornavam a situação econômica do país bastante instável. Era impossível planejar a longo prazo e muito arriscado orientar pessoas em suas decisões econômicas. Após o Plano Real, a moeda foi estabilizada e a sociedade brasileira começou a entender melhor o valor do dinheiro, assim ficou mais fácil comparar preços, financiar produtos e planejar conquistas de longo prazo.

Andy de Santis é autora do livro Lições de Valor e parceira do blog para o tema Educação Financeira

Até o fim dos anos 1990, o assunto educação financeira concentrava-se nas “dicas de investimento” dos especialistas em produtos do mercado financeiro, ensinando pessoas que já tinham recursos disponíveis para investir a preservar ou multiplicar esses recursos. Com a melhora da situação econômica a partir de 1999, alguns fatores foram importantes para impulsionar a prática da educação financeira no Brasil: o controle da inflação, o aumento da bancarização e o maior acesso ao crédito.

Nos anos 2000, uma avalanche de obras de autores dedicados a orientar pessoas para aprimorar a gestão de seu patrimônio e suas finanças pessoais invadiu o mercado brasileiro, como o best-seller “Pai rico pai pobre”, dos autores americanos Robert T. Kiyosak e Sharon Lechter, “Seu futuro financeiro” de Louis Frankenberg e “Casais inteligentes enriquecem juntos” de Gustavo Cerbasi. Mas somente em 2010, o assunto foi elevado a política pública com a promulgação do decreto que instituiu a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) como política de estado que dá diretrizes para a inclusão do tema na educação de crianças, jovens e adultos.

Para a ENEF, Educação Financeira é um processo que colabora com os indivíduos a entender melhor conceitos e produtos financeiros; desenvolver valores e competências para entender riscos e oportunidades de cada decisão financeira; fazer escolhas bem informados; e agir para melhorar seu bem estar hoje e no futuro.

Entre as diretrizes para incluir o tema nas escolas, destacamos três:

#1 Conectar a educação financeira à dimensão espacial:

Significa que crianças e jovens devem ser estimulados a refletir sobre o impacto das suas ações individuais sobre as sociais, e vice-versa, congregando os níveis individual, local, regional, nacional e global. Ampliar essa consciência permite educar a criança para a cidadania, a ética e a responsabilidade no ato de consumir e poupar.

#2 Conectar a educação financeira à dimensão temporal:

Significa estimular a criança e o jovem a compreender as inter-relações do tempo nas decisões tomadas. Os espaços são atravessados por essa dimensão conectando passado, presente e futuro para ensinar a criança a planejar a curto, médio e longo prazos, desenvolver a cultura da prevenção e possibilitar o questionamento sobre sua condição atual.

#3 Inserir o tema de forma interdisciplinar e transversal

Significa que a Educação Financeira não precisa ser uma disciplina à parte, mas pode e deve ser integrada a outros temas como Meio Ambiente, Trabalho e Consumo e Educação Fiscal. É um tema que oferece oportunidades de aplicação prática a disciplinas essenciais do currículo como matemática, geografia, ciências e filosofia.

Lições de Valor: Educação Financeira escolar

O livro “Lições de Valor – Educação financeira escolar”, lançado pela Editora Moderna para alunos do Ensino Fundamental II foi totalmente desenvolvido a partir das diretrizes da ENEF e conta com 12 unidades para estimular o jovem a refletir e tomar decisões que tragam mais qualidade de vida a si e sua família em harmonia com a sociedade e o ambiente em que vivem, hoje e no futuro.

Eu sou Andyara de Santis Outeiro, autora do livro e estou aqui para dialogar com você sobre os conteúdos da obra e trazer dicas sobre educação financeira para aplicar na escola e na vida. Aproveite o espaço, traga seus dilemas, dúvidas e experiências. Vamos aprender juntos?