Atividades práticas investigativas com uso de materiais alternativos

Embora a Química como ciência racionalmente organizada e sistematizada tenha surgido apenas no século XVII, e a Química dita moderna apenas no século XVIII, as especulações de natureza teórica e os procedimentos experimentais atuais são objetos de atenção do ser humano há pelo menos 7 mil anos. A Química moderna atual é organizada racionalmente inter-relacionando teoria e experimentação, fruto de uma longa evolução científica (MAAR, 1999).

O papel da experimentação no ensino das Ciências é historicamente reconhecido por filósofos desde o século XVIII (…). A consolidação da experimentação como estratégia de ensino, no entanto, deu-se de forma significativa nas escolas somente na segunda metade do século XX (SANTOS, 2010). Por ter um papel importante na construção dos conceitos, teorias e leis da Química, a experimentação também possui papel de destaque no processo de ensino-aprendizagem desta disciplina em sala de aula (GIORDAN, 1999). Contudo, frequentemente observa-se nos livros didáticos, roteiros de experimentos cuja única finalidade é de apenas confirmar a teoria previamente apresentada, relegando essa importante ferramenta de aprendizagem a um segundo plano.

(…) as atividades de laboratório meramente reprodutivas e com caráter comprobatório são pobres para se alcançar a relação desejada entre a teoria e o mundo concreto que o ser humano tem diante de si (…) (SANTOS, 2010).

Alguns estudiosos entendem que o potencial dos experimentos pode ser plenamente explorado se a estratégia utilizada for investigativa, o que permite ao aluno atingir uma aprendizagem significativa (GUIMARÃES, 2009). Experimento investigativo é aquele em que o aluno coleta dados, analisa e discute os resultados, formula hipóteses e propõe soluções para os problemas apresentados, sendo o protagonista do processo ensino-aprendizagem.

Para que um experimento possa ser considerado inteiramente investigativo, ele deve ter respostas afirmativas para todas as questões abaixo (FERREIRA, HARTWING e OLIVEIRA, 2010):

  • é direcionado a partir de um problema ou uma situação-problema relevante?
  • envolve os alunos em formulação e testagem de hipótese(s) experimental(is)?
  • propicia a coleta e o registro de dados pelos próprios alunos?
  • encoraja os alunos a formularem explicações a partir das evidências?
  • proporciona aos alunos compararem suas explicações com diversas alternativas?
  • propicia aos alunos oportunidade de discutir suas ideias com os colegas por meio da mediação docente?

Não se trata de algo simples, mas extremamente eficaz! Em alguns momentos, consideramos válido que nem todas as respostas às perguntas acima sejam afirmativas, mas ao menos a maioria delas, o que já configura um viés investigativo e empodera o aluno, dando-lhe o protagonismo da atividade em vez da habitual passividade de uma aula expositiva.

Partindo dessa premissa foram criadas as atividades experimentais da coleção QUÍMICA dos autores CISCATO, PEREIRA e CHEMELLO. A seção “Atividade prática” está presente em todos os capítulos da coleção, e permite a discussão de uma situação-problema descrita no objetivo a partir de um viés claramente investigativo. A ideia é que os roteiros tenham como pressuposto que a execução do experimento, mediada pelo professor, conduza os alunos a construírem os conceitos fundamentais da Química.

A maioria das atividades práticas requer o registro de dados e/ou a observação atenta do experimento e o importante levantamento de hipóteses. As perguntas devem encaminhar os alunos a formular explicações para suas observações. No suplemento do professor, são sugeridas estratégias de como oportunizar a discussão e avaliação acerca das conclusões obtidas.

SAIBA MAIS

Veja a seguir três exemplos de experimentos:

Sobre os autores

Luís Fernando Pereira

Luís Fernando Pereira

Professor e autor

Químico industrial formado e licenciado pela USP. Leciona no Curso Intergraus desde 1995. É o químico consultor do programa Bem Estar, da Rede Globo.

Emiliano Chemello

Emiliano Chemello

Professor e autor

Licenciado em Química e Mestre em Ciência e Engenharia de Materiais pela UCS. Professor de química no Ensino Médio e cursos Pré-Vestibulares.

Patrícia Proti

Patrícia Proti

Professora e autora

Bacharel e licenciada em Química pelo IQ-USP. Bolsista FAPESP de Iniciação Científica e Doutorado Direto com projetos desenvolvidos no Laboratório de Química de Peptídeos do IQ-USP. Atualmente leciona na Escola Móbile e no Cursinho Intergraus.

EXEMPLO 1

Retirado do livro
CISCATO, PEREIRA e CHEMELLO. QUÍMICA. Volume 1, Capítulo 1:
Introdução ao estudo da química, p. 37.

EXEMPLO 2

Retirado do livro
CISCATO, PEREIRA e CHEMELLO. QUÍMICA. Volume 2, Capítulo 2:
Termoquímica, p. 126.

EXEMPLO 3

Retirado do livro
CISCATO, PEREIRA e CHEMELLO. QUÍMICA. Volume 3, Capítulo 5:
O etanol e a oxirredução na química orgânica, p. 318.

Cientes de todas as dificuldades que envolvem a utilização de alguns materiais encontrados apenas em laboratórios equipados, a quase totalidade dos materiais sugeridos nas atividades são de baixo custo e de fácil obtenção, e os experimentos poderão até mesmo ser executados na própria sala de aula!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GIORDAN, M. O papel da experimentação no ensino de ciências. QNEsc. Nº 10, novembro 1999.

FERREIRA, L. H., HARTWING, D. R., OLIVEIRA, R. C. Ensino Experimental de Química: Uma Abordagem Investigativa Contextualizada. QNEsc. Vol. 32, n°2, Maio 2010.

GUIMARÃES, C. D. Experimentação no Ensino de Química: Caminhos e Descaminhos Rumo à Aprendizagem Significativa. QNEsc. Vol. 31, nº 3, agosto 2009.

MAAR, J. H. Pequena História da Química: primeira parte: dos primórdios a Lavoisier – Florianópolis: Editora Papa-Livro, 1999.

SANTOS, Wildson L.P; MALDANER, Otavio A. (organizadores). Ensino de Química em foco. Rio Grande do Sul. Unijuí, 2010

PNLD 2018 | Química Ciscato – Pereira – Chemello  – Proti

A nova coleção valoriza a contextualização, a interdisciplinaridade e a experimentação como formas de conscientizar o aluno sobre a presença da Química no dia a dia. Por isso, os conteúdos tradicionais da disciplina são apresentados por meio de temas bastante significativos para a vida em sociedade, dando ao professor segurança e recursos para um ensino conectado com as expectativas dos alunos e as habilidades para o século XXI.

Confira abaixo mais sobre a coleção inscrita no PNLD 2018:

Join the discussion 7 Comments

  • Ricardo de Sousa Ferreira Junior disse:

    Gostei da iniciativa. Se possível, gostaria de receber os materiais por e-mail .

  • Silvana Regina Vencato Pinto disse:

    Boa noite. Sou diretora e professora em escola de Surdos. Sugiro que os videos sejam legendados ou traduzidos por um intérprete de Libras. Acessibilidade para todos.

  • Katia Dutra disse:

    Olá, Silvana!
    Muito obrigada pelo seu comentário.

    Vamos encaminhar a sua observação para a nossa equipe de produção de conteúdo.

    Ficamos à disposição.
    Equipe Moderna

  • Katia Dutra disse:

    Olá, Ricardo, boa tarde.
    Vamos acrescentar o seu e-mail na nossa lista de contatos para que você também receba outros materiais de Química.

    Ficamos à disposição.

    Equipe Moderna

  • Ana Carolina ferreira disse:

    Eu sou engenheira quimica e trabalho no lab de uma grande empresa. Adoraria conhecer os livros.

  • Celia Maria B. Lopes disse:

    Muito bom, gostei muito desta edição. Gostaria de receber uma coleção de química vc para que eu possa avaliar e indicar na minha Escola. Sou professora de Química nas 3 séries e com aulas de laboratório.E uma escola de ensino integral.

  • Katia Dutra disse:

    Olá, Célia, boa tarde.
    Nossa equipe entrará em contato para te informar os processos para solicitação de material de análise =)

    Ficamos à disposição.

Leave a Reply