Como dar um feedback aos alunos?

Já conversamos bastante aqui no Redes Moderna sobre avaliação formativa. E hoje, gostaria de aprofundar um dos aspectos mais importantes desse tipo de verificação: o feedback. Isto é, o retorno que o professor dá ao aluno sobre o seu desempenho, que pode ser verbal, escrito ou até gestual.

Fornecer feedbacks de qualidade para os alunos é a chave para obter melhores resultados, afinal, esse recurso tem o objetivo de ressaltar as diferenças entre o desempenho esperado e o real, de modo a incentivar mudanças no processo de aprendizagem. E quando essas mudanças ocorrem, então a aprendizagem foi significativa – e é isso que todos queremos!

Feedback

Enganam-se aqueles que pensam que o feedback serve apenas para apontar aspectos negativos para os alunos. Esse momento pode muito bem ser utilizado para ressaltar pontos em que o aluno superou uma dificuldade, encontrou um caminho diferente do esperado para resolver uma situação-problema, ou ainda, por mais que os objetivos esperados ainda não tenham sido alcançados, destacar o esforço, a dedicação e a criatividade colocados no processo.

Juliana Miranda é gerente de Avaliação da Avalia Educacional e nossa parceira para o tema Avaliação

Vamos tratar sobre alguns aspectos e técnicas do feedback:

1. FÓRMULA: FEEDBACK = ELOGIO + CORREÇÃO + PLANO DE AÇÃO

Um feedback tem que ser educativo por natureza. Significa, portanto, que os estudantes precisam receber uma explicação sobre o que estão fazendo corretamente e o que precisam melhorar, e, mais do que isso, como ele deve fazer para melhorar. É mais produtivo e motivador quando ao aluno são fornecidas explicações e exemplos sobre o seu trabalho. Por isso, uma modelagem interessante do feedback é estrutura-lo a partir da fórmula “elogio + correção + plano de ação.

2. FAÇA ELOGIOS REALISTAS

O feedback envolve elogios, mas estes são sempre realistas e com exemplos claros. Para isso, mais do que foi coletado pelos diferentes instrumentos de avaliação utilizados, a observação do aluno em sala de aula é essencial. Os comentário e sugestões nesse momento, portanto, devem ser práticos para que o aluno entenda o potencial que tem em si.

3. FEEDBACK DEVE SER DADO RAPIDAMENTE

É importante não demorar muito para dar um feedback. Ao dar uma resposta rápida, os alunos têm chance maior de relacionarem a informação dada com a experiência da atividade que fizeram, e o professor, por sua vez, terá mais chance de adequar seu planejamento de aula sem interromper completamente um outro projeto já iniciado.

4. CONSIDERE AS DIFERENTES FORMAS DE APRENDER DOS ALUNOS

As salas de aula são caracterizadas pela diversidade de alunos que aprendem de diferentes maneiras. Assim, o plano de ação exposto no feedback que conterá o que deverá ser feito para que o aluno avance em seu processo de aprendizagem também deve considerar esses diferentes estilos.

5. REALIZE MOMENTOS DE ATENDIMENTO INDIVIDUAL

Momentos de atendimento individual são úteis principalmente para aqueles alunos que precisam de mais ajuda, pois estabelece uma relação de confiança e as correções de rota podem ser tratadas mais profundamente em uma conversa.

6. PEÇA PARA OS ALUNOS TOMAREM NOTA NOS MOMENTOS DE FEEDBACK

Pedir aos alunos para anotarem o que é tratado em um momento de feedback ajudará com que eles se lembrem dos planos de ação propostos e, além disso, poderão perceber quando alguma questão apontada como incorreta for superada ao longo do tempo.

7. O FEEDBACK PODE SER VERBAL, POR ESCRITO OU GESTUAL

Quem dá um feedback precisa ter muito cuidado com a seleção de suas palavras e gestos. Uma postura muito negativa ou inúmeras críticas vazias de exemplos podem levar a perder todo o processo de avaliação iniciado, pois estabelecerá com os alunos uma relação de combate, não de confiança.

E vocês, como costumam dar o feedback para seus alunos?

Escrito por Juliana Miranda

Bacharel em Ciências Sociais/USP e mestre em Educação/PUC-SP e gerente de Avaliação da Avalia Educacional

Referências bibliográficas:

ZEFERINO, Angélica Maria Bicudo; DOMINGUES, Rosângela Curvo Leite; AMARAL, Eliana. Feedback como estratégia de aprendizado no ensino médico. Rev. bras. educ. med.,  Rio de Janeiro ,  v. 31, n. 2, p. 176-179,  Aug.  2007 .