Por que dialogar sobre educação financeira na escola?

A inserção de novos conteúdos e disciplinas em sala de aula merece uma avaliação muito cuidadosa a respeito de sua relevância no contexto da sociedade. Acolher todos os assuntos “da moda” pode trazer riscos à escola que deseja manter a sua qualidade de ensino nos temas essenciais.

Por este motivo, vale a pena refletir sobre as razões que uma escola teria para adotar a educação financeira como problemática a ser discutida em sala de aula. Citamos 5 motivos para você discutir e avaliar com sua escola.

#1 – Tem relevância social

Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor em 2014 publicada pela CNC, mais de 60% das famílias brasileiras estão endividadas. Deste total, 19,4% atrasam os pagamentos, enquanto 6,3% estão inadimplentes, ou seja, não tem condições de cumprir com seus compromissos financeiros. Este é portanto, um tema presente na vida das famílias dos alunos, professores e funcionários das escolas e que afeta toda a comunidade escolar. Por esta relevância, o assunto entrou na agenda da educação básica e do ensino médio por meio da promulgação do decreto que instituiu Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) como política de estado que dá diretrizes para a inclusão do tema na educação de crianças, jovens e adultos.

Andy de Santis é autora do livro Lições de Valor e parceira do blog para o tema Educação Financeira

#2 – Pode acelerar mudanças

O espaço da escola é precioso para despertar a consciência de crianças e adultos sobre assuntos novos, cuja disseminação de forma ampla pode beneficiar a toda a sociedade. Temas como ética, meio ambiente e diversidade, ao serem aplicados em sala de aula, vem gerando verdadeiras revoluções no cotidiano de alunos, pais e professores, contribuindo para desenvolver atitudes alinhadas com as demandas do século XXI. A educação financeira é um tema no qual somos todos aprendizes e a escola pode acelerar a conscientização dos alunos motivando a transformação dos adultos ao seu redor.

#3 – Contribui para o consumo consciente e a sustentabilidade

Educação financeira não trata apenas de números e planilhas de controle das finanças. Fala sobre tomar decisões de consumo, planejar o futuro e considerar os impactos de cada escolha para o bolso, a sociedade e o planeta. Ao propor ao jovem a reflexão sobre as seis perguntas do consumo consciente, seus sonhos e projetos de vida, a distinção entre desejos e necessidades, entre outras questões, o tema contribui para a construção de uma sociedade mais consciente e sustentável.

#4 – Está na boca do jovem

Dinheiro é um assunto que atrai e gera interesse, faz parte do cotidiano do jovem, especialmente a partir do Fundamental II quando as famílias começam a “liberar” recursos financeiros a ele frequentemente em forma de mesadas, semanadas ou ocasionalmente em datas especiais. Discutir situações concretas envolvendo dinheiro contribui para despertar a atenção dos alunos a diferentes disciplinas do currículo e a atividades complementares em turno extra.

#5 – Contribui para preparar o jovem a viver no século XXI

Para aprender a lidar melhor com suas escolhas de consumo e o uso do dinheiro, o aluno precisará desenvolver a disciplina, a persistência, a responsabilidade, o planejamento, o questionamento e o controle da impulsividade, entre outros hábitos necessários à preparação do jovem para atuar na sociedade do século XXI.

Pensando em tudo isso, lançamos o livro “Lições de Valor – Educação financeira escolar”, que estimula o envolvimento da família nas atividades propostas e a participação protagonista do aluno. Uma das 12 unidades do livro, por exemplo, propõe aos estudantes planejar financeiramente a feira da semana e refletir sobre os consumos de água e luz dentro de casa. Estimular este hábito pode resultar em escolhas que garantam mais qualidade de vida a esses jovens, assim como em economia no orçamento da família, fomentando, ainda, uma relação responsável entre consumo e sustentabilidade.

Eu sou Andyara de Santis Outeiro, autora do livro e a partir de agora irei dialogar neste espaço com você sobre os conteúdos da obra e trazer dicas sobre educação financeira para aplicar na escola e na vida. Aproveite o espaço, traga seus dilemas, dúvidas e experiências. Vamos aprender juntos?

Join the discussion 9 Comments

  • Marcia Fleury disse:

    Boa tarde

    Sou prof de Matemática e tenho interesse em conhecer seus livros, pois foi com esse tema que fui classificada na premiação do prof. Nota 10 da Revista Nova Escola e Victor Civitta.
    Como conhece-los?

    obrigada

  • Olá Marcia, parabéns pela premiação!!

    Você pode conhecer um pouco mais a obra pelo link que está no artigo e copio aqui para você: http://lancamentos.moderna.com.br/licoes-de-valor/

    Caso queira adotar a obra, basta procurar a equipe comercial da Editora Moderna ou entrar em contato pelo canal http://redes.moderna.com.br/contato/

    Convido você também para acompanhar meus posts sobre a obra, que serão quinzenais aqui mesmo.

    Forte abraço e até breve!

    Andyara de Santis Outeiro

  • Lis Gomes disse:

    Tive o privilégio de conhecê-la em São Paulo. Desde o primeiro contato com a apresentação da obra foi possível perceber diferenciais importantes para o trabalho na escola. Entre eles destaco: O estudo sempre parte de situações concretas do cotidiano dos alunos. As atividades promovem reflexões sobre valores pessoais, limites, disciplina, planejamento, consumo consciente e empreendedorismo. Os conteúdos podem ser explorados de forma transversal por diferentes disciplinas.

  • Olá Lis, gratidão pelo feedback. Conte comigo para apoiá-la no uso e disseminação da obra.

    Abraços,

    Andyara de Santis Outeiro

  • Fabiano Calil disse:

    Andyara, parabéns pela obra.
    Ao tratar as crianças e jovens como protagonistas, demonstra sinal de respeito, além de acreditar no seu percurso autônomo e o potencial transformador no seu entorno.
    Sua proposta, muito contemporânea com o momento que vivemos, de questionamentos a respeito do uso dos nossos recursos como água e a energia. Além do convite a um olhar mais amplo do que o individual. Neste ponto, tratar do tema num ambiente coletivo como a escola, promete bons projetos e iniciativas como já citado nos comentários.
    Fico na torcida e a disposição!

    Bons diálogos !

  • Olá Fabiano, gratidão imensa receber o reconhecimento de alguém com sua trajetória e experiência no tema. Espero contar com suas reflexões nesta roda que começa a se formar.

    Forte abraço!

Leave a Reply