Friedrich Hegel: o idealismo absoluto

Friedrich Hegel - img destacada

Boa tarde, amigos modernos.

Uma das ideologias que aprendemos nas aulas de Filosofia é o pensamento Hegeliano, formatado pelo filósofo alemão Friedrich Hegel, e que definia o chamado idealismo absoluto. O pensamento de Hegel foi tão importante que serviu de base para outras grandes correntes filosóficas como o marxismo, o existencialismo e a fenomenologia.

Hoje, vamos entender um pouco mais sobre a obra de Hegel e sua importância para o trabalho com os alunos na sala de aula.

Biografia e contexto histórico

Georg Wilhelm Friedrich Hegel nasceu em 27 de agosto de 1770, em Stuttgart, na Alemanha. Considerado o último dos grandes criadores de sistemas filosóficos dos séculos XVIII e XIX, Hegel frequentou as aulas de Teologia, Literatura e Filosofias Gregas na Universidade de Tubingen. Nessa época, fez amizade com o poeta  Friedrich Hölderlin e o filósofo Friedrich Schelling. Este último também se tornaria um símbolo do idealismo alemão.

Em 1801, Hegel se torna livre-docente na Universidade de Jena. Nessa época dedicou-se aos estudos das obras de Johann Gottlieb Fichte e de seu amigo Schelling. Baseado nesses teóricos, começa a se aprofundar em dois temas que, mais tarde, se tornariam grandes obras da filosofia ocidental: Fenomenologia do Espírito (1808) e sistematizar na Ciência da Lógica (1812).

O sucesso da Ciência da Lógica deu-lhe um contrato como professor pela Universidade de Heidelberg (1816-1818) que deixou para substituir Fichte na Universidade de Berlim (1818), onde lecionou pelo resto da vida, tornando seus cursos uma referência em todas as partes da Europa.

Friedrich Hegel faleceu em 14 de novembro de 1831, em Berlim, vítima de cólera.

Contexto Histórico e o idealismo absoluto

Para entender as ideias de Hegel, é interessante contextualizá-lo. O final do século XVIII teve como principal acontecimento histórico a Revolução Francesa e a expansão napoleônica. Os territórios europeus não eram divididos sob as fronteiras que conhecemos hoje. A Alemanha – terra de Hegel – era formada por diversos espaços cujas leis e doutrinas eram independentes. Desta forma, o papel do Estado era extremamente importante para o funcionamento do governo.

O obra de Hegel de um modo geral teve grande influência de dois autores: Baruch Spinoza e Immanuel Kant. Hegel desenvolveu o chamado idealismo absoluto, utilizado como base para várias áreas do conhecimento como a política, a psicologia, a arte, a religião e a filosofia. A teoria afirma que quaisquer contradições e dialéticas podem ser resolvidas com a criação de um modelo que pode refletir no indivíduo e no Estado.

Em seu livro Fenomenologia do Espírito, Hegel refletia as etapas da consciência que apreende o mundo e encontra a si mesmo para chegar finalmente à totalidade e ao absoluto. O pensamento hegeliano foi crucial para o desenvolvimento das teorias de Karl Marx, embora este usasse o método dialético de Hegel em bases materialistas e econômicas.

Frases

“O homem não é mais do que a série dos seus atos.”

“A necessidade, a natureza e a história não são mais do que instrumentos da revelação do Espírito.”

“A necessidade geral da arte é a necessidade racional que leva o homem a tomar consciência do mundo interior e exterior e a lazer um objeto no qual se reconheça a si próprio.”

“Nada existe de grandioso sem paixão.”

“Grandeza, entidade variável, mas que, apesar da sua variação, continua sempre a ser a mesma.”

“Nada de grande se realizou no mundo sem paixão.”

 

Saiba mais

Os adotantes da coleção Filosofando possuem mapa conceitual disponível sobre as ideias de Hegel. Clique e confira:

 

2 Comentários

Comentário

Seu e-mail não será publicado